(11) 96358-9727

 

1958 1990 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

 

 Arca do Barata Cinematec'A Barata Contos Crônicas  Entrevistas  Facebookianas  Fal'A Barata! Livrari'A Barata  Micrônic'As Baratas



MALANDROS SOLDADOS DO EXÉRCITO DO ROCK
Luiz Carlos "Barata" Cichetto
barata.cichetto@gmail.com

Era natural na Era Pré-Internética adolescentes começarem a trabalhar ao completar 14 anos de idade. Não nos era considerado nenhum sacrifício extremo, ao contrário, porque era forma de termos algum dinheiro e conhecer outras pessoas fora dos ambientes de escola e lar. Duas necessidades fundamentais que parecem ter ficado paradas no tempo. Os significados de “dinheiro” e “amigos” eram diferentes. A nós o dinheiro era o meio não o fim e amigos eram o fim e não o meio.

Ter algum dinheiro era, por exemplo, a forma de a gente poder comprar discos de “Rock” e ir às “equipes de som” no final de semana, curtir um som. E essas duas coisas eram apenas formas de encontrarmos outros amigos, escutar novos sons... E assim por diante.

Comigo não foi diferente. Dia seguinte ao completar 14 tirei minha Carteira de Trabalho e um mês depois comecei em meu primeiro emprego, uma empresa importadora de ferramentas da Rua Florêncio de Abreu. Um perfeito tonto, sem conhecer porra nenhuma de merda alguma. Não conhecia trajetos, endereços, rotas e nem mesmo a malandragem dos moleques “escolados”. Mas, como sempre fui muito apaixonado e por conseguinte dedicado a qualquer coisa e rapidamente aprendi todos os caminhos e atalhos e a “malandragem” que consistia em comer churrasco grego e cobrar o almoço completo da empresa; ir a pé feito louco pelas ruas afim de entregar pontualmente uma encomenda para depois cobrar o táxi. Eram tão malandros quanto às crianças em fraldas de atualmente.

O resultado de tanta “malandragem” eram os últimos LPs do Deep Purple, um Compacto Simples do Creedence ou uma fita cassete do Joe Cocker. As solas dos pés ardiam ao final do dia, sapatos eram corroídas em um mês, mas o som da guitarra de Ritchie Blackmore e a voz rouca de Cocker, o cachorro louco inglês eram troféus conquistados por nós “Malandros Soldados do Exército do Rock”.

Por não existir “Correio Eletrônico” tínhamos que ficar horas em filas do Correio para despachar uma pilha de cartas, tomar três ônibus e atravessar a cidade apenas para entregar um memorando dentro de um envelope com um protocolo cuidadosamente escrito em letra caprichada de um escriturário, que aliás começara igual a nós, “Office Boy” e que era um ídolo: um dia teríamos uma promoção e então teríamos direito a uma mesa com uma máquina de datilografia e uma de calcular, à manivela; e o principal é que poderíamos usar camisas brancas com abotoaduras douradas nos punhos.

Afinal, na Era Pré-Internética, experiência acumulada tinha importância. Mas éramos garotos e tínhamos sonhos de um futuro melhor, mas nossos sonhos tecnológicos foram transformados em pesadelos cibernéticos onde não existem “Office Boys” nem cartas, apenas correios eletrônicos e escriturários cibernéticos.
14/11/2008
Registro no E.D.A. da F.B.N. : 513.861 - Livro 974 - Folha 209


Palavras-Chave

Luís Tout-Court, Claudia Bia, Laerte Sarrumor, Luiz Antônio Domingues (Tiguês), Leila Mícolis, Henrique Novak, Semente, Cogumelo Atômico, Pipoca, A Mosca, Valdir Zwetsch, Jacques Kaleidoscópio, Nano-Gê & Yara, Walter Franco, Itamar Assumpção, Tarkus, Patrulha do Espaço, Jardim Popular, Led Slay, Fofinho 2 de Janeiro, Luís Carlos Martins de Oliveira, Angela Helena Pereira, Cynthia Bandeira, René Férri, Grilo Falante, Luli e Lucinha, Antônio Carlos Monteiro, Arquíloco, Inventário de Cicatrizes, Tibet, Juju Nogueira, Caio Flávio,  Cornélius Lúcifer, Teatro Martins Penna, Made In Brazil, Tenda do Calvário, Walter Baillot, Teatro da Praça, Jorge Mautner, Fragmentos de Sabonete, Ditadura Militar, Gonorréia, Zona do Meretrício de São Paulo, Rua dos Andradas, Barão de Limeira, Henfil, Fradim, Rolling Stone Brasileira, Luiz Carlos Maciel, Resistência, O Movimento, Opinião, O Repórter, SportStore, Rubens Bueno Assumpção, James Dionizio, Rock A História e a Glória, Ana Maria Bahiana, Ezequiel Neves, Joelho de Porco, Terreno Baldio, Língua de Trapo, Zona Leste de São Paulo, O Fabricante de Sonhos, Rolando Castello Júnior, Dudu Chermont, Sergio Santana, Percy Weiss, Manito, Paraíso dos Loucos, Rua Aurora, Teatro Paulo Eiró, Lira Paulistana, Cine Bijou, Joelho de Porco, Gigante Brasil, Sindicato, Ricardo Petraglia, Dick Petra, Próspero Albanese, Conrado Ruiz, Tico Terpins, Apocalipse, Arrigo Barnabé, Sabor de Veneno, O Terço, Mutantes, Neblina, Concerto Latino Americano de Rock,  Rango, Edgar Vasquez, Pasquim, Anos 70, LP, Vinil, Bruno Blois, Breno Rossi, Feira Hippie, Teatro Bandeirantes, Revista POP, Música do Planeta Terra, Júlio Barroso, Manito, SESC Vila Nova, Woodstock, Discos, LP, Compacto Simples, Gravador Mono Recorder, Fita TDK, Zeca Jagger, Jornal de Música, Olivetti Valentine, Máquina de Escrever, Zé Brasil, Maytrea & Silvelena

1958 1990 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

CONHEÇA NOSSOS PARCEIROS

 

(11) 96358-9727

A Barata - O Site

A Barata Ao Vivo

Amigos & Livros

A Arca do Barata

Arquivos Abertos

Artesanato

As Faces d'O Corvo
Augusto dos Anjos

Ataraxia

Barata Cichetto, Quem É?

Barata Rocker

Biografi'As Baratas

Camisetas

Cinematec'A Barata

Coletâneas de Rock

Colunas Antigas
Conte Comigo, Conte Pra Mim
Contos d'A Barata
Convergências
Crom

Crônic'As Baratas

Depoimentos

Des-Aforismos Poéticos Baratianos

Discoteca d'A Barata

Download Free

Ensaios Musicais

Entrevist'As Baratas

Eventos

Facebookianas
Fal'A Barata!
Fotos
Gatos & Alfaces
Kakerlak Doppelgänger
Livrari'A Barata
Livros
Madame X
Memória A Barata
Micrônic'As Baratas

Na Mídia

O Anjo Venusanal
Pinturas
Pi Ao Quadrado

Poesi'a Barata

Ponto de Fuga
Pornomatopéias
PQP - Puta Que Pariu
Projeto Sangue de Barata
Psychotic Eyes
Renato Pop
Resenhas

Retratos e Caricaturas

Revist'A Barata Digital

Revist'A Barata

Seren Goch: 2332

Sub-Versões

Tublues

Versus

Videos

Vitória

Webradio

Todos os textos, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos Giraçol Cichetto, nome literário Barata Cichetto, e foram registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Não é permitida a publicação em nenhum meio de comunicação sem a prévia autorização do autor, bem como o uso das marcas "A Barata" e "Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade". Lei de Direitos Autorais: 9610/98.

 On Line

Política de Privacidade

Free counter users online