(16) 99248-0091

 

Apóie a continuidade deste trabalho, totalmente independente desde 1997. Saiba como participar clicando na imagem ao lado.

1958 1990 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

 Arca do Barata Cinematec'A Barata Contos Crônicas  Entrevistas  Facebookianas  Fal'A Barata! Livrari'A Barata  Micrônic'As Baratas Prefácios & Editoriais



SEXO, DROGAS & ROCK’N’ROLL NA ERA PRÉ-INTERNÉTICA
Luiz Carlos "Barata" Cichetto
barata.cichetto@gmail.com

Drogas sempre foram drogas. Relatos de uso de drogas químicas até na pré-história. Coisa e tal e tal e coisa. Mas na Era Pré-Internet drogas tinham um uso, um porque e um conceito diferentes. Timothy Leary, o chamado “Papa do LSD”, construía e distribuía suas experiências mundo afora. A droga era usada, da mesma forma que índios, como instrumento de libertação criativa e espiritual. As pessoas sabiam porque a consumiam. E principalmente porque NÃO a consumiam. Ele fiquei do lado do NÃO, sempre estou do lado do NÃO. E nunca aceitei. Mas, confesso, não por qualquer questão moral, social ou religiosa. Apenas porque tenho uma personalidade extremamente viciada. Me vicio em tudo o que faço, de trabalho à amores, de sexo à cigarros e assim por diante. E se pouco adianta eu querer falar qualquer coisa sobre o assunto, uma eu falo: eu não estaria agora, neste momento, digitando em um computador um texto. Estaria enterrado e podre. Foi simplesmente uma escolha, um caminho.

A seguir, um outro texto escrito há bastante tempo, onde eu relato. Apenas que em tal texto esqueci de contar que, quando eu usava isso com meus amigos era muito mais respeitado: “Eu não preciso de drogas, irmão. Já sou louco por natureza!” Bingo!
--- Belchior, Alucine-se! ---

"A minha alucinação é suportar o dia a dia e o meu delírio é experiência com coisas reais."

Esta frase, da música "Alucinação" foi o toque decisivo pra mim. Em 1976 eu tinha 18 anos, freqüentava shows de Rock e tinha companhias, digamos, estranhas. A influência para o uso de drogas era muito grande. Embora meu caráter, aliado ao medo me impedisse de experimentar, muitas vezes, principalmente em momentos de "Teenage Depression", me impelia. Foi nesse momento, que esse toque de Belchior me deu a solução, a decisão e a desculpa que eu precisava. E eu usei aquela frase - e uso até hoje com meus filhos, como um motivo totalmente lúcido contra as drogas. Obrigado, Belchior. (1/1/1997)
14/10/2008
Registro no E.D.A. da F.B.N. : 513.861 - Livro 974 - Folha 209

(16) 99248-0091

A Barata - O Site

A Barata Ao Vivo

Amigos & Livros

A Arca do Barata

Arquivos Abertos

Artesanato

As Faces d'O Corvo
Augusto dos Anjos

Ataraxia

Barata Cichetto, Quem É?

Barata Rocker

Biografi'As Baratas

Camisetas

Cinematec'A Barata

Coletâneas de Rock

Colunas Antigas
Conte Comigo, Conte Pra Mim
Contos d'A Barata
Convergências
Crom

Crônic'As Baratas

De Poeta a Poeta

Depoimentos

Des-Aforismos Poéticos Baratianos

Discoteca d'A Barata

Download Free

Ensaios Musicais

Entrevist'As Baratas

Eventos

Facebookianas
Fal'A Barata!
Fotos
Gatos & Alfaces
Kakerlak Doppelgänger
Livrari'A Barata
Livros
Madame X
Memória A Barata
Micrônic'As Baratas

Na Mídia

O Anjo Venusanal
Pinturas
Pi Ao Quadrado

Poesi'a Barata

Ponto de Fuga
Pornomatopéias
PQP - Puta Que Pariu
Prefácios & Editoriais
Projeto Sangue de Barata
Psychotic Eyes
Renato Pop
Resenhas

Retratos e Caricaturas

Revist'A Barata Digital

Revist'A Barata

Seren Goch: 2332

Sub-Versões

Tublues

Versus

Videos

Vitória

Webradio

Todos os textos, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos Giraçol Cichetto, nome literário Barata Cichetto, e foram registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Não é permitida a publicação em nenhum meio de comunicação sem a prévia autorização do autor, bem como o uso das marcas "A Barata" e "Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade". Lei de Direitos Autorais: 9610/98.
 On Line

Política de PrivacidadeFree counter users online