Barata no Radar Cultura, com a Banda Pedra
O Homem, o Poeta e o Giraçol
Morphine, ou Percepção Emocionada
Woodstarkus - Uma Celebração á Paz
Esperando Papai Noel
Manifesto Singular
Em Busca da Mulher-Barata
Censura? Sempre e Mais...
"O Amor é a Compensação da Morte"
Inserir >/ Quebra... > / Quebra de Página
A Superioridade dos Artistas
Coçar a Cicatriz, Xingar a Meretriz e Sonhar Com a Imperatriz
Viver é Fatal! Quem Viver... Vi...Verá!
Resquícios Críticos Indecentes (Ou Ctrl C/Ctrl V)
Fui!!!
O Rei Está Morto, Então Viva o Rei!
Cabeça de Barata
Acabou a Festa do Latino
Rádio Barata
O Jagunço
Foda-se!!!!
Sonha Comigo!
Que Venham as Putas!
Foda-se e Feliz Aniversário, Betty Boop!
Dias Em Que A Gente Nem Consegue Escrever...
Denny Dent, Diogo Oliveira e os Gênios da Cultura Rock'n'Roll
Sebos & Puteiros
Amor? Nem de Mãe!
Viva Sua Vida ou Vá Se Foder!
O Conto da Barata
A Síndrome da Assepsia
Sangue de Barata - Ou A Grande Família Chamada Rock'n'Roll!
Emoções Baratas
Manifesto dos Desbaratados
Livre Por Natureza
Enquanto Os Cães Passam as Caravanas Ladram!
Abortando a Folha de São Paulo
A Droga do Amor
Ladrão de Bife Não é Herói
Papai Noel é Um Cara Legal...
Que Me Perdoem os Eunucos
Tudo em Nome do Rock And Roll
Dogville , de Lars Von Trier
Estranhas Mutações
Tumantes e Seus Cometas no País dos Boasmerdz
Já Que é Para Esculhambar...
Dia da Consciência...
Iggy Pop
Serguei Iessiênin
Vai Se Foder!

Arca do Barata Contos d'A Barata Crônic'As Baratas Entrevist'As Baratas Fal'A Barata!Micrônic'As Baratas + Resenhas de Filmes + Resenhas de Livros +

AMOR? NEM DE MÃE!
Luiz Carlos "Barata" Cichetto
barata.cichetto@gmail.com
Sinceramente, não quero ser do contra, nem quero pregar o caos e a desordem. Mas não acredito nos chamados "sentimentos puros" da humanidade. A espécie humana foi derrotada pelos seus sentimentos, incluindo aqueles que são chamados "puros". Aliás, uma coisa "pura" não significa exatamente, ao contrário do senso comum, uma coisa "boa". Puro significa que não tem misturas e impurezas. É, não consultei o dicionario, mas não tenho nenhuma dúvida do sentido da palavra. Acaso esteja cometendo algum crime contra a língua, comuniquem.

Mas o quero falar neste artigo é sobre a questão de eu não acreditar em sentimentos "puros". Eles não existem. Sentimento puro seria aquele sem contaminação de interesses outros, como dinheiro, poder, posição de destaque, essas coisas... E não tenho nenhum conhecimento de tanta "pureza". Em realidade, o único sentimento humano puro, porque é real e por si só não se mistura com os outros é algo chamado hipocrisia. A culpa é caminho, a mídia que faz com que sentimentos hipócritas e mesquinhos sejam confundidos com amor. Ah, a pena também!

Eu não quero realmente aquilo que chamam de amor, porque a mim sempre foi sinônimo de dor, rima pobre, mas rica realidade. Tesão não é amor, pena não é amor, compaixão não é amor, culpa não é amor, hipocrisia não é amor, desejo não é amor. Enfim nada é amor, e o amor portanto não existe. Que outro sentimento "puro" resta? O chamado "amor de mãe"? Ora, esse é o pior, porque é o mais hipócrita. Não derrame lágrimas, nem peça perdão. Porque lágrimas sãoi hipocrisias e o perdão não existe. Perdão é um conceito estúpido e mentiroso que esses religiosos estúpidos e mentirosos colocaram na sua cabeça.

Aguardem as cenas dos próximos capítulos, mas a realidade nunca passou na TV, não existe amor, essa é que é a verdade, não caiam nessa! Não se enganem com sentimentos mentirosos e hipócritas. Qualquer médico idiota sabe porque o coração bate mais forte quando a gente se sente amando. Não existe nada além de carne, ossos e sangue. Não existe nada além de vida e morte, no sentido estrito e lógico. Estamos vivos e ponto. Vamos morrer e ponto! E acabou!

Arrisco agora um exercício de silogismo: O Amor é Deus/Deus Não Existe? Portanto o Amor Não Existe!... E sou capaz de brincar com silogismos semelhantes, jogando sempre com essas questões, mas chegando sempre a mesma conclusão: nem Deus nem o Amor existem. Interessante é pensar que quando são atribuidas definições sobre o Demônio, que seria o antônimo ou a antítese de Deus, nunca é usado o antônimo de Amor que seria Ódio. A ele são atribuídas definições como Luxúria, Pecado, Traição e muitas outras, menos ódio. Como se a palavra Amor fosse algo tão ligado á Deus que nem sequer o seu antônimo seria dado ao seu antagonista. A ausência do tal Amor, entretanto não significa que sobre apenas seu antônimo. Não acredito em Deus, mas nem no Demônio. Portanto não acredito no Amor, mas não creio no Ódio. É como Bem e Mal... Definições religiosas adotadas pelos outros sistemas de controle humano. Enfim, apenas métodos de dominação.

Eu não quero telefonemas de perdão, não quero lágrimas falsas, não quero sorrisos marotos, não quero pedidos de clemência, não quero desejos nem beijos, não quero cheiros nem odores, não quero abraços nem apertos de mão. Apenas não quero sentimentos mentirosos e hipócritas. Acaso eu esteja morrendo à mingua, deixe que eu apodreça, não finja um amor que não sente. Esqueça o número do meu telefone, nao procure meu endereço e não chore por mim. Porque eu não choro por ninguém. Secou!

Eu sou um sonho ruim e sei que nunca irá acordar. Não perca a oportunidade! Estou farto de falsidade, de mentira, de traição. EScuto uma música ao longe e sei que existe uma festa, que eu fui chamado. Não fui. Alguém sente falta de mim? Quando eu acabar não irá sobrar pedra sobre pedra, tijolo sobre tijolo. Montanhas de falsidade serão transformadas em poeira. Ao espaço com a poeira cósmica. Não chore, não grite, não responda!
16/9/2007
Registro no E.D.A. da F.B.N. : 513.628 - Livro 973 - Livro 474

(11) 96358-9727

 


Camisetas
Livros
Pinturas


A Barata - O Site
A Barata na Mídia
Barata Cichetto, Quem É?
Depoimentos
Fest'As Baratas
Fotos

Poemas Por Título
Por Livro
Por Data
Com Áudio
Musicados
Com Vídeo
Livros Impressos

A Barata Ao Vivo
Biografi'As Baratas
Discoteca d'A Barata
Ensaios Musicais
Coletâneas de Rock


Artesanato
Camisetas
Convergências
PQP - Puta Que Pariu
Pinturas
Sub-Versões
Videos
Webradio

Gatos & Alfaces
Pi Ao Quadrado
Revist'A Barata
Revist'A Barata Digital
Versus


Arca do Barata
Contos d'A Barata
Crônic'As Baratas
Entrevist'As Baratas
Fal'A Barata!
Micrônic'As Baratas
Resenhas de Filmes
Resenhas de Livros

Ataraxia
Crom
Kakerlak Doppelgänger
Madame X
O Anjo Venusanal
Ponto de Fuga
Pornomatopéias
Projeto Sangue de Barata
Psychotic Eyes
Renato Pop
Seren Goch: 2332
Tublues
Vitória

Todos os textos, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos "Barata" Cichetto e registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Não é permitida a publicação em nenhum meio de comunicação sem a prévia autorização do autor. Bem como o uso das marcas "A Barata" e "Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade".

 On Line:  72