O PACTO (UM CONTO SEM VÍRGULAS. APENAS COM PONTO FINAL)
Barata Cichetto
Fomos apresentados ainda na infância. No conhecemos. Nos amamos. Transamos no pátio da escola. Nos beijamos. Não necessariamente nessa ordem. Estudamos juntos. Nos bolinamos na aula de História. Nos masturbamos na aula de Matemática. Não necessariamente nessa ordem. Fumamos escondidos. No banheiro do Colégio. No acampamento. Na rua. Na chuva. Na chácara. Não necessariamente nessa ordem. Nos drogamos. Nos picamos. Nos chupamos. Na quadra de basquete. Ouvimos Janis Joplin. Jimi Hendrix. Bebemos até não lembrar quem éramos. E de quem éramos. Não necessariamente nessa ordem. Bebemos cerveja,. Pinga. Chuva. Apanhamos juntos. Da Polícia. Nos manifestamos. Em prol das liberdades. Nos livramos da ditadura. Nos casamos. Tivemos filhos. Cachorros. Gatos. Apartamento. Carro. Amantes. Dinheiro. Dívidas. Doenças venéreas. Empregos chatos. Chefes carrascos. Não necessariamente nessa ordem. Nos xingamos. Nos ofendemos. Nos traímos. Nos amamos. Não necessariamente nessa ordem. Fomos a igreja. Ao terreiro de umbanda. Ao templo budista. Engordamos. Emagrecemos. Choramos. Rimos. Assistimos televisão. Fomos ao cinema. A praia. Ao clube de campo. Frequentamos clubes de troca de casais. Clubes esportivos. Não necessariamente nessa ordem. Perdemos dinheiro. Filhos. Carro. Amantes. Cabelos. Dentes. Visão. Não necessariamente nessa ordem. Ficamos sós. Morremos. Não necessariamente nessa ordem.
17/2/2017