ALÔ! TEREZINHA!!!!!!!! VAI PARA O INFERNO OU NÃO VAI?????
Barata Cichetto
P
Que é absurdamente impressionante o poder de manipulação da religião sobre a mente das pessoas, não é nenhuma novidade. Historicamente as religiões foram usadas para manipular as mentes de forma a aliená-las, fazer com que as pessoas aceitem o jogo de dominação como dominados, como cordeiros num matadouro. A igreja católica sempre foi aliada dos reis e alguns de seus papas o foram diretamente.

Mas atualmente a coisa chegou a um limite mais que absurdo, chegou a um nível tal de sofisticação até mesmo tecnológica que aliena pessoas até com um certo nível cultural elevado. As dificuldades financeiras pelas quais o mundo atravessa, com falta de empregos e oportunidades, faz com que esses charlatões se aproveitem e manipulem ainda mais e mais pessoas. Arrastam multidões a seus cultos, compram veículos de comunicação, estão em todas as áreas, da política a empresarial. Trapaceiam, mentem e enganam as pessoas na maior cara de pau! E enriquecem mais e mais com isso.

Estabeleceram inúmeros alvos. Aliam Rock ao Diabo e elegem seu inimigo. Não bastasse o Rock ser freqüentemente associado com o uso de drogas, agora passaram a elegê-lo como "Parceiro do Diabo". Prendem, julgam e condenam, sem a menor possibilidade de defesa.

Um folheto distribuído nas ruas de São Paulo, impresso em lilás tem o título "Sinos do Inferno", fotos do AC/DC e de Bon Scott, além de, na capa a letra de "Hell's Bells". Dentro os autores, identificados como A. Wagner e G. Alberts, falam a respeito dessa música e usam frases como "O AC/DC repica os sinos para ele, - o Diabo -, para receber suas vítimas no inferno", "Agora ele sabe por experiência própria como é lá"... e outras. O texto segue, sempre falando que Bon Scott está no Inferno com o Diabo, insinua que todos os outros membros da banda também irão para lá e destila veneno tal qual uma serpente.

Mas o mais interessante é o final do folheto. Na última página tem o seguinte texto, em letras maiores que o restante: "Com base nesse artigo, recomendamos muito ler o capítulo '666 e música rock' no nosso novo livro 'O Controle Total - 666', que explica ainda mais o fundo dessa 'música' terrível. Mas vale: 'Se, pois, o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres' (Jo 8.36)."

Ai cabem algumas observações:
1 - Os ditos cujos definem Rock como música entre aspas, dando a entender que Rock não é música.
2 - A citação bíblica no final fala em libertação... incoerência total, pois no restante do texto os autores fazem condenações e condenam por sua própria conta.

Não vou entrar aqui em discussões de natureza religiosa, não vou discutir conceitos como Deus e o Diabo, se o Céu é bom e o Inferno mau, essas coisas. Mas o circo de horrores criado por essas igrejas com o intuito de massificação chegou ao seu limite. Muitas delas ganham muita grana usando o Rock, criaram movimentos paralelos dentro do movimento Rock afim de atrair roqueiros e depois soltam uma porcaria dessas nas ruas.

O Diabo e o Inferno, sempre presentes em letras de Rock têm uma explicação lógica que apenas esses embotados mentais não enxergam. O Inferno e o Diabo são contrapontos á cultura religiosa imposta pelos pais, são parte de uma rebeldia juvenil onde a contestação e a auto-afimação são necessidades. Deus sempre foi sinônimo de Poder e os jovens o questionam.

A linguagem circense usada nesses cultos religiosos e principalmente em seus programas de pregação eletrônica se assemelha a programas de calouros. Ali, todos são incautos calouros, que se desafinam que ou não cantam de acordo com sua orquestra são gongados (pelos sinos do inferno?). Bufões de terno, palhaços de bíblias na mão, domadores de leões (de judá?). Ridicularizam e humilham os já humilhados. E ganham muita grana com isso.
4/4/2003