BURLESCO
Burlesco Barata Cichetto
Troco Poesia Por Dinamite

Falam de mim, que sou apenas um grotesco
E me divirto escrevendo um poema burlesco
Mas não pense o correto leitor e a burra ávida
Que eu estarei zombando de uma puta grávida.

Pois ao que concerne à minha poesia imunda
Que fale de como meu pau lhe entra na bunda
Pois que da hipocrisia eu não beijo a mão dura
E nem minha poesia é queijo doce ou rapadura.

Vou arriar minhas calças e mostrar meu pinto
E assim dizendo-lhe tudo aquilo que eu sinto
Mas se me achas zombeteiro, e poeta maldito
Diga-me das tuas fodas que de fato te acredito.

Então bailarina louca, dispa a saia vermelha
Que lhe ergo meu pau e minha sobrancelha
E ao final desse espetáculo, para a sua diversão
Me jogo no poço, gargalhando de sua perversão.
27/6/2017