A PORNOGRAFIA É MINHA POLÍTICA

Barata Cichetto
Pornopoesia. Trilha Sonora: Art Zoyd - Legendes - Le Bruit Du Fer

Minha política é a poesia pornográfica filosófica, ou a pornografia filosófica poética, ou ainda a filosofia poética pornográfica. Escrevo como quem trepa, fodo como quem pensa, e penso como quem faz poesia. Não há ideologia, não há demagogia, não há hemorragia. Enquanto engrandeces a luta e o comunismo, eu enobreço a puta e o masoquismo; enquanto escolhes entre capital e trabalho, eu fico entre o porral e meu caralho; enquanto brigas por vitórias, eu guerreio por orgasmos; enquanto matas por poder, eu morro por tesão. E se escolhes entre ditadura e democracia, eu fico com a luxúria e o que vicia; se pregas o cristianismo, eu martelo o sadismo; se determinas o estoicismo, eu proclamo o sexismo. O meu império é a pornografia, minha república é a poesia e a filosofia meu Universo. Sou rei numa monarquia anarquista, presidente de uma república hedonista, e deus de um mundo sexista. E se queres cuspir sobre mim teu pensamento político, deixe que eu mostre meu pau em publico, que eu exiba o filme pornográfico que fiz ontem à noite trepando com alguma rainha, primeira dama ou deusa. Se desejas a liberdade da tua política também ensejo a minha. Silenciarei minha expressão política: guardarei meu pau dentro das calças, minha poesia na gaveta e meu pensamento no banheiro, desde que silencies a tua, calando teu impotente tesão totalitário, teu castrado discurso igualitário, e teu flácido pensamento partidário.