TEMPOS GROSSOS
Barata Cichetto

Tempos Grossos, poema escrito em 2013, durante as chamadas "Jornadas de Junho". Esta é a segunda versão do video, originalmente feito naquele ano, com péssima qualidade. Um poema que, nestes Tempos Grossos de Outubro de 2018, em que o ódio nem é mais disfarçado, ele se torna bem atual.
Grossos tempos estes, em que o rabo abana o cachorro
Em que o pedido de um cigarro é um pedido de socorro
Que as ruas estão cheias de merda, de sangue e urina
E o importante é a vaidade, o dinheiro e a purpurina.

Grossos tempos estes, dos olhos borrifados com pimenta
Tempos coloridos artificialmente, com balas sabor menta
Em que ruas estão cheias de estudantes iletrados e burros
Pichando contra a parede e contra o vento dando murros.

Que tempos grossos são estes, do controle da existência
Da morte infantil e do aborto como forma de resistência?
Tempos em que precisamos da legislação sobre o viver
E em que a morte é uma desculpa de nosso sobreviver.

Enfim, que grossos são estes tempos, de ódio disfarçado
De igualdade falsa, desigualdade real e ócio desgraçado?
Tempos das esmolas santas, e do futebol que mata a fome
Em que pessoas não existem, apenas uma foto e um nome.

14/06/2013
https://youtu.be/8h4s468FpuU