PURPLE HAZE E A GRAÇA DE DEUS (OU: ELA SÓ QUERIA SER UM ANJO)
Barata Cichetto

Este vídeo foi montando usando trechos de filmes pornôs da década de 1920 e 30, do filme Fausto (Faust - Eine Deutsche Volkssage, 1926), Direção: F.W.
Murnau, e "Anticristo" de Lars Van Trier, 2009

Para a edição de vídeo, foi utilizado o Sony Vegas 14. A gravação da narração foi feita como programa de código livre Audacity.

Autor, Narração e Produção do Vídeo: Barata Cichetto (2012)
Trilha Sonora: Luiza Maria - "O Anjo"; Cynthia Witthoft - "The Beelzebub's Tales To His Grandson"; "Lucifer In Red Clothes" e "Lucifer Between Us".

Poema Registrado na FBN, contido no Livro "Cohena Vive!" - 2012
Eu, que ando cansado, e conformado feito um burro
E fechado, armado e mal informado igual um murro
Deformado e inútil feito paixão, correndo sem destino
Morrendo e escorrendo, pois o meu mal é de intestino.

Poesia é sem graça e a Graça eu comi dentro da Igreja
Tão bêbado que nem lembro de um orgasmo que seja
"Dentro de mim mora um anjo", cantou Maria, a Luisa
E o demônio dentro de mim grita: "Vê se não me pisa!".

Rock'n'Roll não é música, caralho! Fodam-se os inocentes
Porque não existe o silêncio sem culpados, são indecentes
Notas por notas, grito em acordes, acorde com meu grito
Porque não sou Demônio ou uma criação de Jesus Cristo.

Graça era um anjo e eu sou ateu, mas um dia serei Deus
Mas não aquele dos hipócritas, e nem aquele dos judeus
É tão bom comer um anjo, é bom gozar dentro da igreja
Então meu anjo, peça desculpas enquanto o céu me beija.

Graça tinha pernas tortas, um anjo barroco portanto
E era a graça das piadas, mas graça nem tinha tanto
Que desgraça, pensou ela enquanto chupava meu pau
E o altar era santo, Graça era a puta e Deus era o mau.

"O que faço eu agora?", pensou o Cristo pregado na madeira
Era santo o meu mal e era mau o santo em cima da geladeira
E “foda-se!" ecoou pelos pilares santos e a inquisição renasceu
Os crimes foram lembrados e o meu tesão ainda mais cresceu.

Graça queria ser um anjo, mas achou que anjos eram feios
E a desgraça deixou, porque beleza é a quimera dos receios
Assim, Graça de Deus comeu o pão que o Diabo amassou
Doces quimeras, belas desgraças e a santidade lhe amansou.

As pedras são livres, Graça dos Anjos. Acorda e vai à luta
Igrejas são pilares da vergonha, então foda-se minha puta!
O Rock está morto e os mortos não dançam, bailarina torta
Então dance, dane e descanse em paz, querida Graça Morta.

Não, não sejas fiel a mim, querida criança de dedos melados
Fidelidade é a doces deuses e não aos amargos poetas pelados
Eu lhe entrego a infidelidade feito uma hóstia da liberdade
Chupe meu pau feito um picolé e terás enfim sua felicidade.

Graça, minha graça, que eu comi em pé, atrás do altar
Jamais santidade a possuirá, maldade não há de faltar
Porque o bem e o mal não existem, apenas existe o gozo
Então deixe escorrer pelas pernas meu melado perigoso.

O Padre fechou a portinhola do confessionário e abriu o cinto
Seus joelhos doem de rezar, e sua língua de chupar um pinto
Então eu lhe perdôo, Graça querida, horrendo anjo sem asas
Mas sua penitência é a fealdade a lhe arder feito duas brasas.

Ontem faltastes ao catecismo, o chicote lhe arderá as costas
E agora fodes comigo e antigo é o sabor daquilo que gostas
Salve sua alma enquanto é tempo, reze a seu belo Deus de barro
Mas antes deixa-me gozar em sua bunda e lhe dar o meu escarro.

Amanhã estarei rezando por sua alma, seu corpo pertence a mim
Pouco adianta chorar, pouco adiantam pedidos de perdão, enfim
Jamais lhe perdoarei por sua fealdade e por não saber uma oração
Não conhecerás a verdade da beleza e a maldade de sua adoração.

Há alguém batendo á porta. Deus e o Diabo chegando para o jantar
Então preparem a mesa e deixem o coro de anjos começar a cantar
Deus numa ponta e o Diabo na outra, e o prato somos nós, querida
E não adianta reclamar agora que sua bunda está um tanto dolorida.

Ao fundo um Rock e não sei quanto demora seu orgasmo, esse é o jogo
Chamem o Padre, o Sacristão, Deus e o Diabo, ao Inferno com seu fogo
Façam o sinal da cruz, rezem três ave-marias e um pai-nosso gregoriano
Enquanto Graça eu como e depois entrego o corpo ao guarda pretoriano.

Agora caminha Graça pelas esquinas cheias de anjos cantando em latim
Não reconhece seu Deus, não conhece o Demônio e nem lembra de mim
E eu que ando cansado, conformado feito burro, negando o que pregas
Desinformado e deformado, dando murros nas pontas das facas cegas.

24/08/2011
https://youtu.be/Hz5k3x142nU