VEREDAS DE PORVENIR
Barata Cichetto e Amyr Cantusio Jr.
Amyr Cantusio Jr. é um gênio. E foi eleito há algum tempo, como o melhor tecladista do mundo. Amyr também é teimoso, cabeça dura e esquentado.
Eu sou um gênio. E fui eleito há algum tempo (exatamente semana passada) como o melhor poeta do Brasil, justamente por Amyr Cantusio Jr., que também é um gênio e que foi eleito o melhor tecladista do mundo. Ah, eu também sou cabeça dura e esquentado.
Agora imaginem o que dois gênios, cabeças duras, esquentados, e eleitos como os melhores de alguma coisa em algum lugar do mundo, podem fazer juntos...
Podem? É já fizemos. Fizemos vários trabalhos esparsos e duas (eu disse duas) Operas Rock, sem apoio de mídia, e tirando leite de pedra e água de deserto.
E agora chegou o momento de outro (eu disse outro?) trabalho em conjunto, que é o "AlphABarata Project", que consiste em interpretações poéticas e musicais de grandes textos da literatura mundial. Borges, Schoppenhauer, Dante, e muitos outros. Em principio serão 10 textos, que serão poeticamente interpretados por mim, Barata Cichetto, e musicalmente por Amyr. Os resultados serão exibidos semanalmente em vídeo
O primeiro vídeo, baseado no conto "O Jardim de Caminhos Que Se Bifurcam", de Jorge Luis Borges, está no ar. Todos os domingos teremos novos trabalhos no meu canal do Youtube, "Rock In Poetry", que é justamente voltado à divulgação de Rock & Poesia. Acessem, escutem, vejam e deixem seus comentários.

 

(Inspirado no Conto "O Jardim dos Caminhos Que Se Bifurcam", de Jorge Luis Borges)
"El porvenir ya existe"

1 -
Existe um labirinto no meio do jardim,
E dentro dele, outro labirinto sem fim.

Existe o um, existe o zero, e nada mais além,
E entre o nada e o tudo, não existe ninguém.

E que horas são, pergunta o relógio ao religioso,
E o tempo responde que tudo lhe é dispendioso.

2 -
Existe um jardim de flores no meio do labirinto
E dentro, apenas dores, e um pouco de infinito.

Que lugar estranho é esse, pergunto ao porteiro,
E ele me manda roubar a chave de um chaveiro.

Ruas cortam ruas e o sangue escorre da minha mão,
E em todas as estradas apenas placas de contramão.

3 -
O tempo é um sendeiro vil, disse um cantador,
E o destino um desvio servil, falou o contador.

Pergunto a criança como chegar ao meio da floresta,
E sempre virar à esquerda é a resposta que me resta.

Então, deixe que eu lhe conte uma história triste,
Feito uma tia velha e cega, e que ainda não existe.

4-
A minha procura anda o homem com a lanterna,
Eu o encontro antes, dentro da escuridão eterna.

Há quanto tempo, diz um confrade intangível,
E eu o saúdo olhando o meu relógio invisível.

Preciso interrogar minha parca consciência distraída,
Sobre um labirinto dentro de um labirinto sem saída.

5 -
Há o labirinto e o jardim, preciso saber o endereço.
Compro a passagem num trem: tudo tem seu preço.

E há nas paredes pinturas representando vontades,
Desejos bifurcados, e apenas meras meias verdades.

E sobre o jardim, que muitos creem ser florido,
É apenas um labirinto de espelhos descolorido.

6 -
O futuro apanhou o revólver na gaveta e atirou,
Eu cai de costas e o futuro sorrateiro se retirou.

Mas ontem nasceu outro morto futuro:
Acabou o caminho que parecia seguro.

"Deixo a vários futuros, e não a todos, o meu jardim
Dos caminhos que se bifurcam" muito além de mim.

6/12/2018
9/12/2018
https://youtu.be/sUESYDS_vb0