(11) 96358-9727

 

1958 1990 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

 

MOVIMENTO PELA EXTINÇÃO HUMANA VOLUNTÁRIA
VLADIMIR CUNHA
1/6/2000
"O Homem Vale Menos do Que Uma Bactéria"
É o que afirma nesta entrevista o polêmico Les U Knight, o ecologista que quer varrer a vida humana da face da terra.
Sabe aquela história de que a Terra é um lugar bacana só que mal freqüentado? Pois é, para algumas pessoas isso é mais do que uma piada velha. Segundo Les U Knight - fundador, líder e mentor teórico da ONG Voluntary Human Extinction Movement (Movimento pela Extinção Humana Voluntária, em português) - nosso planeta está à beira do fim e a única maneira de salvá-lo é extinguindo a raça humana. De acordo com ele, depois de poluir o ar, envenenar rios, abrir buracos na camada de ozônio, condenar populações inteiras à fome e à pobreza, o mínimo que a Humanidade poderia fazer era ter a decência de abandonar o barco e deixar este pedaço de rocha flutuante para a sua verdadeira dona: a Mãe Natureza. É o radicalismo ecológico levado às últimas conseqüências.


Vladimir Cunha: Você acha realmente que a vida animal e os vegetais são tão importantes ao ponto de justificar a extinção da raça humana?
Les U Knight : Num ecossistema equilibrado todas as espécies são importantes e nenhuma é melhor que a outra. De uma forma geral, quanto mais alta a posição que uma espécie ocupa na cadeia alimentar menos ela importante ela é para aquele sistema. O homem já não faz mais parte da cadeia alimentar. Por outro lado, as bactérias presentes nos intestinos dos seres vivos são importantíssimas para a sobrevivência de toda a biosfera terrestre. Se levarmos isso em conta, chegaremos à conclusão que o homem vale menos do que uma bactéria.

Vladimir Cunha: Então a raça humana não tem valor algum?
Les U Knight : Nós só temos valor para as pessoas com quem nos relacionamos. Mas, para a natureza e o ecossistema, nós não fazemos a menor falta.

Vladimir Cunha: Nem se levarmos em conta o legado cultural e intelectual da humanidade?
Les U Knight : Talvez as traças achem nossos livros um tanto quanto deliciosos, mas eu creio que elas não vão saber diferenciar o Pablo Neruda das Seleções do Reader's Digest. Pegue a maior criação literária já feita pelo homem e compare com qualquer forma de vida, mesmo a mais insignificante, e me diga: qual delas possui mais beleza, complexidade e potencial?

Vladimir Cunha: Quantas pessoas fazem parte do seu movimento?
Les U Knight : Seis bilhões e 50 milhões, eu creio. Na verdade eu falo isso porque é impossível dizer quantas pessoas já devem ter chegado a conclusão de que o mundo seria melhor sem a raça humana. Mas, baseado na quantidade de pessoas que entram em contato comigo, posso dizer que temos por volta de uns três milhões de pessoas engajadas em nosso movimento. São pessoas que, embora não sejam membros de nossa organização e não tenham uma militância, apóiam nossas idéias e gostariam de ver nossos objetivos alcançados.

Vladimir Cunha: E como vocês fazem para divulgar as idéias do movimento? Vocês tem algum tipo de publicação ou é tudo feito através da internet?
Les U Knight : Nós não funcionamos como uma organização normal. Não recebemos doações, não fazemos reuniões com os nossos membros e nem temos interesse nisso. Na verdade, toda a divulgação das nossas idéias é feita apenas em nosso site na internet (www.vhment.org). Nossos textos estão à disposição de quem quiser imprimí-los e distribuí-los por aí.

Vladimir Cunha: Qual a situação do Movimento hoje em dia? Ele tem crescido?
Les U Knight : Sim, um bocado. Principalmente nos Estados Unidos, que é o país onde somos mais atuantes.

Vladimir Cunha: A oposição ao movimento de vocês é muito grande ao ponto de chegar a reações mais extremas, como a violência contra membros da organização, por exemplo?
Les U Knight : Não. Existem aqueles que não concordam com a gente mas não aconteceu até agora de sermos alvo de atos violentos. Não consideram os nossos opositores como inimigos. Os verdadeiros inimigos da humanidade são a ganância e o ódio e estes podem ser combatidos com generosidade e amor ao próximo.

Vladimir Cunha: A Extinção Voluntária existe em outros países?
Les U Knight : Sim, nós temos nossos textos traduzidos para o italiano e estamos providenciando versões para o nosso sites em alemão, holandês, português, chinês e francês. Ainda assim é difícil dizer com precisão todos os lugares onde nós estamos, pois a Extinção Voluntária é uma idéia que se espalha pelo mundo como um vírus de computador.

Vladimir Cunha: Algumas pessoas tendem a achar que o seu movimento é contra as crianças e não contra a presença humana na terra. O que você acha disso?
Les U Knight : Isso e um mal-entendido. Ser contra as crianças é manter uma sociedade onde 40 mil delas morrem todos os dias vítimas de doenças facilmente curáveis. Além do mais, que tipo de mundo espera nossas crianças? O futuro não é mais o que costumava ser. Condenar alguém a viver neste mundo é como vender passagens para um navio que está afundando.

Vladimir Cunha: O que você acha de organizações como a Igreja da Eutanásia e gente como Peti Linkola, que defendem que a humanidade deve ser extinta a qualquer custo, mesmo que, para isso, sejam necessários meios violentos?
Les U Knight : São abordagens diferentes para o mesmo assunto que ajudam a chamar a atenção das pessoas para a nossa causa.

Vladimir Cunha: Mas será que a violência é a melhor solução para os nosso problemas ecológicos?
Les U Knight : Não existe violência maior do que as agressões que o homem faz à natureza. Destruir o ecossistema, matar animais apenas por esporte e prazer, criar seres vivos em cativeiro em condições de absoluta crueldade, promover a extinção de espécies inteiras...isso sim é que é violência. Quanto à questão da militância que apela para o extremismo, não creio que ela resolva muita coisa. Brigar e bater nas pessoas não é a melhor maneira de fazê-las pensar diferente.

Vladimir Cunha: Será que não existe outra solução além da extinção da raça humana? Nós temos vários exemplos de organizações, como o Greenpeace, que lutam por um mundo ecologicamente equilibrado. Não seria essa uma saída?
Les U Knight : Todos os esforços são válidos. Não basta apenas parar de procriar para salvar o planeta. Se nós não cuidarmos do planeta enquanto estamos aqui, não vai sobrar muita coisa quando a raça humana estiver extinta de uma vez por todas. Sendo assim, nosso esforço terá sido em vão. No entanto, se não houver um trabalho de conscientização com relação à necessidade de diminuir gradativamente a população do planeta, todos esses esforços não irão adiantar de nada.

Vladimir Cunha: Se um dia a raça humana deixar de existir, o que realmente vai acontecer?
Quando nós desaparecermos, as plantas e os animais se encarregarão de restaurar o equilíbrio do ecossistema. Nossas cidades irão sumir aos poucos até se tornarem apenas traços de uma civilização que um dia habitou este planeta. Nosso lixo tóxico continuará a envenenar a Terra por mais algumas dezenas de milhares de anos mas, pelo menos, nós não estaremos aqui para poluir o planeta ainda mais. Creio que serão preciso milhões de anos para que a biosfera se recupere dos estragos feitos por esta raça de macacos em apenas 50 mil anos de existência. Para entender melhor, basta você imaginar o processo de retorno à Natureza que as cidades Maias e Astecas estão sofrendo.

Vladimir Cunha: Segundo alguns físicos teóricos, existe a possibilidade de que um dia o nosso sol aumente de tamanho até destruir nosso planeta e o próprio Universo está condenado a morrer em um futuro remoto. Além disso, os dinossauros foram extintos e nós ainda tivemos as Eras Glaciais. Você não acha que a própria Natureza tem seus métodos de manter o equilíbrio das coisas?
Les U Knight : Com toda certeza. O problema é que, devido ao seu poder tecnológico, o homem conseguiu evitar a morte natural que todas as espécies experimentam após um certo tempo de existência. Mas isso só vai contribuir para que a nossa extinção seja ainda mais dolorosa quando chegar nossa hora. Nós podemos evitar isso. Ou pelo menos evitar sentenciar alguém à vida apenas para que esta pessoa tenha que morrer depois. Algumas pessoas pensam que não temos que nos preocupar e que a Natureza se encarregará de restaurar o equilíbrio do ecossistema. Isso é como achar que um carro não precisa de freios só porque ele vai deixar de andar quando der de encontro a um muro. Nós temos o freio e temos inteligência suficiente para usá-lo. Sendo assim, porque não fazer isso? A extinção humana e a melhor saída para a Humanidade. A partir do momento que pararmos de procriar as brigas por territórios e recursos naturais irão cessar. Poderemos, inclusive, experimentar um período de saúde, felicidade e abundância de recursos a partir do momento em que formos desaparecendo da face da Terra. É a sociedade utópica que a qual temos sonhado desde que o homem passou a dominar este planeta.

Saiba Mais Sobre o Movimento, Acessando o Site, Versão em Português:
http://www.vhemt.org/pindex.htm

FACEBOOK ADDS


15/6/2010 - Alexandre Wildshark - Virada Cultural (São Paulo 15 e 16 de Maio de 2010, Mogi Guaçu 22 e 23 de Maio de 2010)
2/12/2009 - Alexandre Wildshark - Resenha do Show do VENOM em São Caetano.
3/11/2009 - Paulo Leminski - Rock and Roll
1/11/2009 - Barata Cichetto - WoodsTarkus
16/10/2009 - Duda - Momentos Extremos de Meu Encontro com Raul Seixas, o Eterno Amigo.
16/10/2009 - Duda - O Repórter Perguntou: “E o Que Você Prega?” E Raul Munido de Ironia Respondeu: “Pregos, e Muito Mal Pregados".
16/10/2009 - Duda - Meu Encontro Com Raul Seixas, Meu Livro Vivo
1/10/2009 - Kim Kehl - Liberdade Criativa
28/9/2009 - Raul Cichetto - Infecção Cadavérica
23/9/2009 - Mário Pacheco - Rock Malhado S.A.
10/9/2009 - Greta Garbo - E Se!
7/9/2009 - Luiz Carlos "Barata" Cichetto - Liberdade... Abre As...
14/11/2008 - Greta Garbo - Boca
11/11/2008 - Dum De Lucca - Jazz Rock, a Fusão Entre o Céu e o Paraíso.
5/11/2008 - Dódi Hernandes (D.H.) - Vôo da Chave Antenada
1/11/2008 - John Hemingway - Tradução: Lúcio Júnior - Em Solidariedade a Ronaldo e Hemingway
1/11/2008 - Rodrigo Oliveira - Espantalhos, Pedras e Poemas
22/10/2008 - Dum De Lucca - "CSNY, Déja Vu”, do Genial Neil Young, no Festival de Cinema de São Paulo
21/10/2008 - Alexandre Wildshark - 14 de Maio de 2008, o Dia Que a Guitarra Brasileira se Calou! Um Tributo ao Mestre Wander Taffo
20/10/2008 - Wagner R. - A Fome
18/10/2008 - Antônio Celso Barbieri - Entrevista Rejeitada de Celso Barbieri
15/10/2008 - Belvedere Bruno - Enclausurada
13/10/2008 - Wagner R. - Um Bate-Papo Com Integrantes do Grupo 'Tântalus Cantantes"
30/7/2008 - Felipe Cerquize - Jogos da Vida
6/5/2008 - Mário Pacheco - Cu
5/5/2008 - Antônio Celso Barbieri - Rock Fantasma
25/4/2008 - Fernando Barreto - Rock And Roll Hates Me
20/4/2008 - Dum De Lucca - Tríade da Música Perfeita: Democracia, Diversidade e Informação
14/4/2008 - Wagner R. - Música, Por Favor... Quero Cantar...
25/11/2007 - Lúcio Emílio do Espírito Santo Júnior - A Nova Onda (Parte 2)
25/11/2007 - Lúcio Emílio do Espírito Santo Júnior - A Nova Onda (Parte 1)
11/11/2007 - Belvedere Bruno - Ponto Final
5/10/2007 - Adriano Coelho - Os 35 Anos da Led Slay
25/9/2007 - Adriano Coelho - Os 73 Anos da Maior Musa do Cinema
13/9/2007 - Antônio Celso Barbieri - Homosinteses
5/9/2007 - Lúcio Emílio do Espírito Santo Júnior - Syd Barrett: O Elefante Efervescente Não Está na Praça da Apoteose
5/4/2007 - Chico Boy - Parabéns Barata !!!
2/4/2007 - Lazara Luzia - Repulsa
27/3/2007 - Lazara Luzia - G
12/3/2007 - André Mainardi - Edu Viola
28/2/2007 - André Mainardi - High Tide Reportagem publicada na Revista Só! Número Hum, Setembro de 2006)
13/2/2007 - Astribaldo - Astribólicas
24/11/2006 - Fabiano Gozzo - Troca-Troca
13/10/2006 - Sr. Arcano - Manifesto Soturno
1/1/2006 - Silas Corrêa Leite - Teen, Família e Sociedade
1/1/2006 - Fabio G. Carvalho - Que Droga de Religião?
1/1/2006 - Thiago Porto - Tipos de Drogas e Sua Aparência 
1/1/2006 - Thiago Porto - Histórico das Drogas
1/1/2006 - Luiz Carlos Maciel - O Fracasso da Contracultura
1/1/2006 - Luiz Cezar Pimentel - Sobre Drogas e Vício
> LEIA OUTROS TEXTOS >

1958 1990 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

CONHEÇA NOSSOS PARCEIROS

 


(11) 96358-9727

A Barata - O Site

A Barata Ao Vivo

Amigos & Livros

A Arca do Barata

Arquivos Abertos

Artesanato

As Faces d'O Corvo
Augusto dos Anjos

Ataraxia

Barata Cichetto, Quem É?

Barata Rocker

Biografi'As Baratas

Camisetas

Cinematec'A Barata

Coletâneas de Rock

Colunas Antigas
Conte Comigo, Conte Pra Mim
Contos d'A Barata
Convergências
Crom

Crônic'As Baratas

Depoimentos

Des-Aforismos Poéticos Baratianos

Discoteca d'A Barata

Download Free

Ensaios Musicais

Entrevist'As Baratas

Eventos

Facebookianas
Fal'A Barata!
Fotos
Gatos & Alfaces
Kakerlak Doppelgänger
Livrari'A Barata
Livros
Madame X
Memória A Barata
Micrônic'As Baratas

Na Mídia

O Anjo Venusanal
Pinturas
Pi Ao Quadrado

Poesi'a Barata

Ponto de Fuga
Pornomatopéias
PQP - Puta Que Pariu
Projeto Sangue de Barata
Psychotic Eyes
Renato Pop
Resenhas

Retratos e Caricaturas

Revist'A Barata Digital

Revist'A Barata

Seren Goch: 2332

Sub-Versões

Tublues

Versus

Videos

Vitória

Webradio

Todos os textos, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos Giraçol Cichetto, nome literário Barata Cichetto, e foram registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Não é permitida a publicação em nenhum meio de comunicação sem a prévia autorização do autor, bem como o uso das marcas "A Barata" e "Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade". Lei de Direitos Autorais: 9610/98.

 On Line

Política de Privacidade

Free counter users online