(11) 96358-9727

 

1958 1990 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

 

A Barata Ao Vivo Biografi'As Baratas Discoteca d'A Barata Ensaios Musicais Coletâneas de Rock


FESTÃO DO BARALDÃO
Barata Cichetto

MÁXIMA CULPA E EXXÓTICA
7/10/2007 - Blackmore Bar
Produção: Márcio Baraldi

Fotografia: Aldo Beehlerr
O Domingão do Faustão perdeu audiência no último domingo, 7 de Outubro de 2007. E não foi pro Gugu nem pra Record... Foi para o Festão do Baraldão! No simpático Blackmore Bar, em Moema, São Paulo.

O programa inusitado para uma tarde de Domingo, não tinha aquelas churumelas idiotas do garoto propaganda de relógios, nem atrações de gosto muito duvidoso. Era uma tarde de Quadrinhos e Rock'n'Roll. A estrela da Festa, a grande figura do Marcio Baraldi, que estava lançando seu mais novo livro, o "Humortífero" e um DVD contendo duas novas fases do jogo Roko Loko no Castelo de Ratozinger, rebatizado como "Roko-Loko-Remix", O game ainda vem com um divertido com um documentário mostrando o making-of da produção do jogo. Além dos criadores do game mostrando passo-a-passo o processo de criação, o documentário tem participações especiais de músicos do Sepultura, Korzus, Exxótica e Angra.

De um calor insuportável, o final da tarde de domingo trouxe um vento gelado, mas que afinal deu um refresco e deixou a galera mais a vontade para chegar até o Blackmore. A Festa começou às quatro da tarde, horário legal, principalmente para um domingo. Nada daquelas coisas de ter que agüentar o sono até as três ou quatro da madruga para ver uma banda. Baraldão é um cara esperto e colocou computadores no bar para a molecada se esbaldar de jogar o game. Quatro ao todo e que eram disputados pela turma.

Cheguei às quase 5 da tarde e já na calçada, encontro com Pedrão, da banda Máxima Culpa, que eu não conhecia pessoalmente. Ao entrar no Blackmore, Baraldão me chamou e com sua cartola e charutão me abraçou e trocamos rapidamente algumas palavras. Afinal o Marcião era a estrela da Festa e precisava atender todos os seus inúmeros fãs e amigos. Sai andando e fui abordado pelo Caricaturista Jr Lopes, que rapidamente fez uma hilária caricatura minha. Um lance legal. O artista circulando e desenhando as pessoas. Muita gente saiu dali com uma caricatura debaixo do braço.

Pedrão chama para tomar uma e nessas o Baraldão me chama e apresenta a duas figuras, Aldo Beehlerr do site Metalmorfose de Portugal e o produtor Bonadia. Ficamos ali trocando algumas informações. Bonadia se distancia e ficamos, eu e o Edu, falando sobre Rock e Internet. No telão, de Sex Pistols a Jethro Tull, sob a batuta do DJ Adriano Coelho, ex Rock Brigade e um monte de publicações e que hoje é também colunista de A Barata. Uma performance muito interessante do pessoal do Sleevers, um com um macacão laranja e máscara de ET, o outro, de terno, gravata e uma máscara de porco. Eles agitam, brincam e provocam todo mundo. O pessoal entra na brincadeira e participa.

Seis e pouco da tarde e o casal de apresentadores do Stay Heavy, Cintia e Vinícius sobe ao palco e apresenta o Máxima Culpa. A banda abre o show com um tema instrumental, demonstrando para os incautos o que viria pela frente. Um som muito pesado e principalmente bem tocado e auto-definido como Hard Metal Rock Sá no Baixo, Mamorra na Guitarra, Fejão na Bateria e o lendário Pedrão no vocal, detonam suas músicas cujo tema principal é a denúncia do Comércio que vêm acontecendo às voltas de Igrejas, Tendas de Fé, Assembléias etc.. A maior parte das músicas tocadas dói do disco mais recente "Denúncias e Questionamentos", incluindo "Nova Religião", uma música longa com uma letra muito forte. E que inclusive está presente na Coletânea "Sexo, Baratas & Rock'n'Roll". Pedrão agita, pula, fala sobre as letras e a galera entende o recado. Isso ai, Pedrão e Máxima Culpa: Rock não é só diversão, tem que dar algo para as pessoas pensarem, questionarem, denunciarem.... Muita gente não conhecia a Máxima Culpa, mas acabou saindo dali com a sensação de "como eu não conhecia uma banda dessas...!"

Marcião não pára um minuto, desfilando com sua cartola e charutão... Troco umas palavras com Adriano que pergunta sobre a repercussão de sua coluna em A Barata e logo adiante está Alê Frata, da banda 1853. Nesse momento, uma das minhas mais gratas surpresas do dia: a lendária figura de Jack Santiago, ex vocal da banda Harppia.. Jack está cheio de novos planos, nova banda, ao que parece. Trocamos algumas palavras que são interrompidas com a entrada da banda Exxótica no palco. Os quatro mascarados e maquiados... Incluindo a nova batera, Gabi. E Marcelo Rossi, Fabio Hoffman e Daniel Iasbeck, no palco sabem fazer um Rock muito bom. Show de Rock, de verdade! A banda, no palco soa muito mais forte, pesada e ... Espetacular... A Gabi, além de linda e merecedora de muitos adjetivos positivos é uma tremenda batera, daquelas que socam a porrada na bateria sem piedade! Gostei demais do estilo da garota. A apresentação do Exxótica foi irretocável e cheia de surpresas, como a "revelação" da verdadeira identidade do ex-baterista Spectro, que tocou, junto com outro ex integrante da banda, Boris, umas quatro músicas.

Num determinado momento, o show é interrrompido para entrega dos prêmios ao Marcio pela venda de 400.000 cópias do Game. Ele e todos os envolvidos recebem seus prêmios merecidos e o Exxótica continua sua porradaria sonora. Cerca de uma hora e meia de show e a banda se despede. O Domingão do Baraldão (que bom se fosse topdo domingo no lugar do outro) está chegando ao fim. Cumprimento a galera do Exxótica e ainda encontro o Paulo Kruger, da banda Cracker Blues e a Gisele Santos, criadora do site Mundo Rock (www.mundorock.net) que também faz assessoria de imprensa pro Marcio, e que eu não via há um bom tempo. Falamos rapidamente sobre nossos projetos e me dispeço do Baraldão e saio do Blackmore. Jack ainda está na porta e nos abraçamos e despedimos.

Preciso cruzar metade da cidade até chegar à Penha e numa esquina próxima ao Shopping Ibirapuera, um engraxate me pede um cigarro e depois pergunta: "Esse cabelo... quanto tempo pra chegar desse tamanho....?" - Um ano e pouco, respondo. No ônibus, algumas crianças e seus pais ostentam orgulhosos seus "Humortíferos" autografados... Ai Marcião, um ano é muito tempo para esperar outro Domingão desses!

Registro no E.D.A. da F.B.N. : 513.861 - Livro 974 - Folha 209


1958 1990 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018

CONHEÇA NOSSOS PARCEIROS

 

(11) 96358-9727

A Barata - O Site

A Barata Ao Vivo

Amigos & Livros

A Arca do Barata

Arquivos Abertos

Artesanato

As Faces d'O Corvo
Augusto dos Anjos

Ataraxia

Barata Cichetto, Quem É?

Barata Rocker

Biografi'As Baratas

Camisetas

Cinematec'A Barata

Coletâneas de Rock

Colunas Antigas
Conte Comigo, Conte Pra Mim
Contos d'A Barata
Convergências
Crom

Crônic'As Baratas

Depoimentos

Des-Aforismos Poéticos Baratianos

Discoteca d'A Barata

Download Free

Ensaios Musicais

Entrevist'As Baratas

Eventos

Facebookianas
Fal'A Barata!
Fotos
Gatos & Alfaces
Kakerlak Doppelgänger
Livrari'A Barata
Livros
Madame X
Memória A Barata
Micrônic'As Baratas

Na Mídia

O Anjo Venusanal
Pinturas
Pi Ao Quadrado

Poesi'a Barata

Ponto de Fuga
Pornomatopéias
PQP - Puta Que Pariu
Projeto Sangue de Barata
Psychotic Eyes
Renato Pop
Resenhas

Retratos e Caricaturas

Revist'A Barata Digital

Revist'A Barata

Seren Goch: 2332

Sub-Versões

Tublues

Versus

Videos

Vitória

Webradio

Todos os textos, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos Giraçol Cichetto, nome literário Barata Cichetto, e foram registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Não é permitida a publicação em nenhum meio de comunicação sem a prévia autorização do autor, bem como o uso das marcas "A Barata" e "Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade". Lei de Direitos Autorais: 9610/98.

 On Line

Política de Privacidade

Free counter users online