Todos os textos, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos "Barata" Cichetto e registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Não é permitida a publicação em nenhum meio de comunicação sem a prévia autorização do autor. Bem como o uso das marcas "A Barata" e "Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade".

 

Percy Weiss
..............................................................................................................................................................................
Luiz Carlos "Barata" Cichetto
barata.cichetto@gmail.com
Quando Percy Weiss nasceu, “Voz”, um dos deuses do Rock proclamou à humanidade: “Aqui tens, humanos, a minha descendência, meu dileto filho. Será este que lhes entrego, Percy Weiss, aquele que lhes encantará e trará emoções com sua Voz. Será ele, ‘A Voz do Rock’.”

Carioca nascido 11 de Março de 1955 na cidade do Rio de Janeiro, mais precisamente na Rua das Laranjeiras, Percy José Weiss – pronuncia-se “Vaiz” -, neto de um alemão que imigrou para o Brasil no começo do século 20, morou em Copacabana até os cinco anos de idade quando a família se mudou para São Paulo, mais precisamente para o bairro do Brooklin.

Influenciada diretamente por Beatles e Rolling Stones, a longa carreira de Percy Weiss começa em 1972 aos 17 anos de idade, com a banda de baile U.S. Mail, nas domingueiras do Clube Banespa. A partir daí, Percy percorre todo o circuito de bailes de São Paulo. Em 73 participa da banda Quarto Crescente, que conta com nomes como Duda Neves, Palhinha, Marcos Guerra e outros tocando no Masp, Teatro São Pedro, Aquarius, Tuca e etc..

O sucesso chama a atenção de inúmeras bandas e músicos, inclusive de Oswaldo Vecchione, baixista e fundador do Made In Brazil, uma das mais importantes bandas de Rock do Brasil, que à época tinha equipamento e estrutura sem precedentes. Percy então passa a ser o cantor da banda, percorrendo grande parte do Brasil e se apresentando para grandes platéias. Em 1976, 12 mil pessoas no Ginásio do Corinthians assistiram a um show da banda junto com Rita Lee e Zé Rodrix. Durante o ano de 1976, o Made In Brazil faz mais de 70 apresentações, todas com Percy Weiss á frente dos vocais. Nesse ano grava também um dos mais importantes discos da história do Rock brasileiro: “Jack o Estripador”, que tem a produção de Ezequiel Neves, que posteriormente viria a produzir entre outros Barão Vermelho e Cazuza.

Em 1978, Percy grava o primeiro disco de outra das mais importantes bandas brasileiras: Patrulha do Espaço, que fora fundada pelo lendário Arnaldo Baptista, mas a havia deixado por problemas de saúde e era então capitaneada por outra figura lendária do cenário, Rolando Castello Júnior. Percy permanece até 1981 tocando ao lado de outras figuras históricas, como os já falecidos guitarristas Dudu Chermont e Walter Baillot e do baixista Cokinho.

Posterior à saída da Patrulha, Percy, a convite de Tibério Corrêa, ingressa em outra histórica banda, o Harppia; que tinha como guitarrista Helcio Aguirra atualmente Golpe de Estado, onde coloca sua voz no disco “Sete”. Posteriormente deixa a banda e faz participações especiais em apresentações e gravações do Made In Brazil, como em “Made Pirata 1 e 2”, cantando algumas canções em shows gravados no Teatro Lira Paulistana.

Em 91 e é a gravação de “Primus Inter Pares” que o trás de volta à Patrulha do Espaço, desta vez contando com a participação, além de Rolando Castello Júnior, do experiente guitarrista Xando Zupo onde grava releituras e músicas ainda inéditas do falecido baixista Sergio Santana. A voz de Percy Weiss parece, especialmente nesse disco, ter sido forjada no fundo de um vulcão em chamas: quente, rude e avassaladora. Canções como “Arrepiado” e “Robot”, originalmente criada pela lenda argentina da guitarra Pappo Napolitano, e “Columbia”, um dos maiores clássicos da banda e do Rock Brasileiro, tomam de emoção a quem as escuta. É a superação do insuperável.

Em seguida, Percy, interessado também pela parte técnica da música, passa a trabalhar em lojas, fabricantes e importadoras de instrumentos musicais. Seu trabalho nessas empresas foi precursor em contratos de “Endorses”, ”Work-Shops” e Clínicas Musicais. Entre 98 e 2003, em Natal, RN, atua como empresário representante de algumas importadoras de instrumentos musicais.

Em 2003 Percy retorna a São Paulo e aos palcos com sua banda, a “Percy´s Band”, onde ao lado de jovens, mas experientes músicos toca os clássicos das bandas por onde cantou e cria novo repertório, que constará de um CD a ser lançado ainda em 200. Além disso, participa da tournée de despedida da Patrulha do Espaço que percorreu cerca de 40 cidades e prepara composições para um futuro trabalho solo.

Atualmente Percy Weiss está casado com Lana Goulart, sobrinha do grande poeta Ferreira Gullar, com quem criou a Weiss Prodarts, com o intuito de trabalhar com artistas, promovendo eventos e gerando cultura musical para todos os gostos.

Cortante e precisa quanto uma lâmina do mais puro aço, forjado com a têmpera das vozes roucas de Bourbon dos “bluesman” do Mississipi como Muddy Waters, com a garra “Soul” de um Ray Charles e a precisão vocal de um Robert Plant, a voz de Percy Weiss arrepia, transcende os sentidos conhecidos e nos transporta a um mundo onde a emoção é única coisa que importa.


Discografia de Percy Weiss:
Jack, o estripador - Made in Brazil - 1976
Made Pirata ao vivo I e II - Made in Brazil (participação)
Patrulha do Espaço - Patrulha do Espaço - 1978
Quarto Crescente - Quarto Crescente - 1980
Sete - Harppia – 1987
Made Pirata ao Vivo I e II (participação)
Registro no E.D.A. da F.B.N. : 513.861 - Livro 974 - Folha 209
Grand Funk
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Itamar Assunção
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Norman Bates
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Patrulha do Espaço
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Percy Weiss
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Stress
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Xando Zupo
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Arca do Barata
Contos d'A Barata
Crônic'As Baratas
Entrevist'As Baratas
Fal'A Barata!
Resenhas de Filmes
Resenhas de Livros
Micrônic'As Baratas
Camisetas
Livros
Revist'A Barata
Revistas Impressas
Artesanato
O Anjo Venusanal
Ponto de Fuga
Convergências
?/span>pera Rock Vitória
PQP - Puta Que Pariu
Webradio
Sub-Versões
Videos
A Barata Ao Vivo
Biografi'As Baratas
Discoteca d'A Barata
Ensaios Musicais
1a. Coletâne'A Barata
2a. Coletâne'A Barata
Festival Música Independente
A Barata - O Site
Fest'As Baratas
A Barata na Midia
Barata Cichetto, Quem ?
Depoimentos
Amigos & Parceiros
Fotos
Arquíloco (1981)
Sangue de Barata
Impessoal e Transferível
1958
A Verdadeira História da Betty Boop
Emoções Baratas
O Olhar Gótico da Morte Dentro da Cibernética Taverna
O Câncer, O Leão e O Escorpião
O Cu de Vênus
O Êxtase
Poemas Perdidos

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 On Line:  137