Belchior, Alucine-se!
Diário de Bordo, Data Estelar: 01 de Dezembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 06 de Dezembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 07 de Dezembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 09 de Novembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 14 de Dezembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 14 de Novembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 15 de Novembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 16 de Novembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 20 de Julho de 2003
Diário de Bordo, Data Estelar: 21 de Novembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 22 de Novembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 23 de Maio de 2003
Diário de Bordo, Data Estelar: 23 de Novembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 24 de Maio de 2003
Diário de Bordo, Data Estelar: 29 de Março de 2003
Diário de Bordo, Data Estelar: 29 de Novembro de 2002
Diário de Bordo, Data Estelar: 30 de Novembro de 2003
Diário de Bordo, Data Estelar: 31 de Março de 1979
Diário de Bordo, Data Estelar; 28 de Março de 2003
Garotas Com Camisetas do Slade
Janis, Uma Deusa
O Garoto
O Sonho Acabou de Ser Assassinado
Pancreatite, Cachaça e Solidão
Raul Seixas, 10 Anos
Raul Seixas, Um Mestre
Titãs, Uma Fábrica de Som
Tublues, ou o Sonho Não Acabou!
Um Iron Maiden Que Não é o Iron Maiden???? Em 1965
Um Kaleidoscópio Sonoro
Um Velho Disco de Vinil

+ A Barata Ao Vivo + Biografi'As Baratas + Discoteca d'A Barata + Ensaios Musicais + Coletâneas de Rock +

 

Tublues, ou o Sonho Não Acabou!
..............................................................................................................................................................................
Luiz Carlos "Barata" Cichetto
barata.cichetto@gmail.com
Queria começar o presente texto com algo a respeito de sonhos, alguma citação de alguém famoso. Uma frase de Lennon, por exemplo, mas todas elas pareceram pequenas demais para expressar o sentimento que num determinado momento senti. Aqueles que sabem o que é num único momento a gente ter o sonho realizado por uma pessoa e ao mesmo tempo realizar um outro sonho desta pessoa, sabe do que estou falando. Claro que infelizmente não devem existir muitas pessoas que um dia em suas vidas tiveram o prazer de ter isso. Portanto, apesar de todos os problemas pelos quais passei e passo, sinto-me efetivamente como um ser humano privilegiado.

A data do privilégio: 8 de Novembro de 2003, local do privilégio: Led Slay. Personagens deste sonho realizado: Luiz 'Barata' Cichetto, eu mesmo, criador do site A Barata, de um lado, e Cezar 'Heavy' Bastos, fundador, baixista e vocal da banda Tublues.

Retornemos no tempo, há cerca de quase dois anos atrás, final de 2001, quando, nem lembro de que forma, tomei contato com o trabalho da banda Tublues, um trio de Lorena, interior de São Paulo, que tinha um trabalho muito bem feito, um hard-rock'n'roll bem crú, mas com muita competência. Recebi a primeira demo da banda e curti um monte. No início de 2002, 11 de Janeiro precisamente, aconteceu o '1º. Fest'A Barata' e naquele dia conheci o Heavy, que veio de Lorena especialmente para prestigiar. Depois de um porre de 'Xiboquinha', e umas fotos, o danado se picou de volta pra sua cidade, com uma promessa minha de que quando rolasse a primeira oportunidade, eu traria a banda para tocar em São Paulo.

Meses depois, a casa onde fora realizado nosso evento pediu-me a indicação de uma banda e lógico que indiquei o Tublues. A galera ficou doida, alugaram carro e trouxeram mais duas bandas da cidade: O Face IT Out, competentíssima banda de Thrash Metal e uma banda que, também tendo Heavy nos vocais fariam Judas Priest Cover. Quis o destino e a incompetência da casa, mas na hora da apresentação, sequer as portas foram abertas e a apresentação cancelada. Imaginem o sentimento de frustração daqueles músicos que viram seu sonho ir pro ralo.A imagem que tenho para ilustrar isso: Heavy, um cara de cabelos brancos, longa estrada de Rock, quase quarenta de idade, chorando e implorando que abrissem a casa, que eles tocariam para quem estivesse lá. Negativo! Eles arcaram com o prejuízo e retornaram a Lorena... Imagino a tristeza e a frustração de ter seu sonho morto a pauladas de incompetência, que acompanharam aqueles caras em sua jornada de volta.

Naquela calçada, distribuímos ás pessoas que estavam ali para ver as bandas, os CDs do Tublues que tínhamos e o Heavy me pede para lhe mandar 'umas letras' minhas. Naquele dia reafirmei ao Heavy e a galera do Tublues que assim que rolasse algo ao qual tivesse produção da gente, eu os traria... De qualquer jeito. Sentia-me meio culpado por indicar aquela casa, mas a amizade e o respeito que eles tinham pelo trabalho frente ao site A Barata e eu ao trabalho deles, fez com que nascesse ali uma certa cumplicidade. Sonhos compartilhados são a maior e melhor forma de cumplicidade.

Um dia Heavy me manda um E-Mail e me diz que a música ficara pronta. No inicio não acreditei, achei que era balela dele. Dos poemas que mandei, ele me dizia que 'Sangue de Barata' caíra perfeitamente, que a música estava 'du caralho' e tal. O tempo foi passando e um dia, o irmão Marcelo Nicolau assiste uma apresentação deles em Guaratinguetá e me diz que ouviu a música e que ela está muito boa! Quer dizer que existia, mesmo!

Cerca de um ano e meio depois, e uma série de problemas de saúde e financeiros que tive, recebo o convite para realizar o '2º. Fest'A Barata' em outra casa, muito maior, com poder de atrair público muito melhor. Nem preciso dizer que nem pensei duas vezes. Sabia que teria problemas para colocar o Tublues em função de que a condição era que fosse um show de 'covers'. Mas decidi encarar, mas não rolou nenhum problema, pois eu os colocaria como 'Banda de Abertura'.

A essas alturas Heavy fazia mistério, eu queria escutar a musica, mas ele me dizia que somente ao vivo. Nem podia acreditar e fiquei cético... Até o dia 8 de Novembro. Depois de quatro meses de preparação, correria e pressão absolutas, chegou finalmente o dia do '2º. Fest'A Barata - Rock É Atitude!' Chegou. Nem preciso falar que a noite anterior foi de quase nenhum sono, mesmo acompanhado de generosas doses de 'Dreher' e umas três carteiras de cigarros.

O dia amanheceu bonito, com um sol fantástico, ao contrário do que acontecera nos dias anteriores, com muita chuva e frio. Mas a tensão, o medo de que uma chuva torrencial pudesse literalmente botar por água abaixo aquele trabalho todo. Duas e pouco da tarde, o Heavy do Tublues me liga. Estava já na porta da Led esperando o horário de passagem de som que estava marcado somente para as 5 da tarde. A ansiedade dele era patente. Mas não acho que era maior que a minha. Afinal aquela banda iria realizar meu antigo sonho de ter uma de minhas poesias musicadas. Ele vinha fazendo suspense e eu ainda não tinha ainda escutado a tal 'Sangue de Barata'. A passagem de som seria minha redenção.

Cinco e meia da tarde, chegam Heavy e Alexandre e começa a passagem de som do Tublues. Atrás de pregar um banner na entrada só percebo que o som que eles tocam é a tão esperada 'Sangue de Barata' no final. Mesmo pegando apenas o final, aquilo deu um gosto de realidade aos meus sonhos. Nem consigo contar o que senti ali. Que sabe o que é ter um sonho de mais de 20 anos, por mais simples que seja, realizado, sabe bem o que estou falando...

O pessoal do Tublues está impaciente, o Heavy está nervoso apesar dos cabelos brancos que mostram um caminho longo percorrido na Estrada. Nove e pouco da noite, ainda pouca gente na casa me dá calafrios, mas por volta de nove e meia, a galera começa chegar mais forte. Chega o amigo e fantástico vocalista Abdalla que irá fazer Deep Purple e Sabbath... Conversamos, eu, ele e o Heavy e rola a idéia do Abdalla fazer uma música com o Tublues. Fantástico. A festa vai começar...

Quase 10 da noite e resolvo tentar vencer minha timidez e apresentar... Subo no palco tremendo de vergonha, apresento a Fest'A Barata e falo rapidamente sobre o Tublues. Tinha escrito uma ficha com as informações básicas da banda para falar, mas na hora esqueci tudo...

Heavy, Alexandre e James, aliás, este um fantástico batera de 17 anos, se agitam e logo começam a soltar seu mais puro Rock'N'Roll. Nos primeiros acordes de - adivinhem? - 'Sangue de Barata', meu coração velho ameaça saltar pra fora, mas eu fecho a boca. Ali escondido no meio da galera, faço de conta que não escuto repetidas vezes o Heavy me chamar, afinal eu não nasci para o palco, só sei que 'Não posso ser menor que a vida/Nem maior que a morte...' Imaginei que aquele som seria algo como um Blues, mas é um hardão brabo e não deixou meu ego inflado e começo a dançar que nem doido. Nem estou nem ai quando Heavy fala sobre mim e faz uma porrada de elogios. Quero é curtir ali no salão da Led Slay meus solitários minutos de sonho real.

Algum problema me agarra pelo braço logo e me tira do salão no inicio de 'Como Um Cão de Rua', algo na linha 'Foghat', bem pesado e ritmado. Ainda passo por ali durante a música e vejo que a galera antes surpresa com uma banda desconhecida com trabalho próprio, está curtindo muito o som da banda e começa a agitar freneticamente.

No fundo da Led, alguém me oferece um copo de cerveja e fica surpreso quando eu recuso. Escuto Heavy chamar Abdalla para participar do 'show' e sei que a música é 'Stress' da lendária banda Casa das Máquinas. Corro pro salão e vejo o gigante Abdalla fazendo percussão e backing vocal. Meu, que momento!!!! 'Eu não tenho pressa/Pressa de morrer' diz um trecho da letra, mas alguém apressado passa correndo e me arrasta para... Outro probleminha.

Mais alguns minutos de ausência e me acomodo de novo no meio da galera, que a essas alturas está bem maior e que entrou no show do Tublues. Alguém me estende outro copo e depois de nova negativa e novo espanto só interrompido pelo anúncio da próxima música, um tributo ao Led Zeppelin, a emotiva e sensível 'Zeppeliana', que me leva 'Ao mais puro céu/Ao mais puro som/Onde quero chegar'. Realmente, aquele dia é um 'Celebration Day...'.

'Ambição Ardente' é um outro Rock bem pesado, com a guitarra de Alexandre falando alto e um peso absurdamente bem colocado pelas baquetas do garoto James. Mas também é interrompido por outra puxada no braço...

A próxima música consigo apenas escutar do saguão da Led. Um cover de 'Uma Banda Made In Brazil', do Made, onde Heavy paga seu tributo à lendária banda brasileira e aos irmãos Vecchione. Nessa vejo Rolando Castello Júnior, o amigo e batera e fundador da Patrulha do Espaço chegar junto com outro músico da banda, o Marcello Schevano. Depois dos abraços e agradecimentos, retorno ao salão e o Tublues está encerando sua participação com outra cover, desta vez 'Whole Lotta Rose', do AC/DC. A galera definitivamente cai no som, afinal não dá para ficar parado ao ouvir esse som!

Trinta e poucos minutos, o Tublues se despede e como sempre acontece a galera vai pro fundo, pro bar. Sigo aquela massa, preciso de algo, agora uma cerveja vai bem. Encosto no balcão peço uma cerveja e no primeiro copo, vejo Junior e Schevano conversando, poucos minutos depois e se juntam a nós o Heavy e Abdalla. A conversa é rápida e Heavy me puxa pelo braço e me diz que eu realizei um sonho que ele tinha desde os 15 anos, que era tocar no palco da Led Slay. Como é bom uma coisa realizar o sonho de duas pessoas ao mesmo tempo.

No início deste texto falei que nenhuma citação caberia, acho que não é bm assim:
'Sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade...' Tinha que ser algo de Raul Seixas mesmo pra me socorrer.


SANGUE DE BARATA
Letra: Luiz 'Barata' Cichetto
Música: Cezar 'Heavy' Bastos


Não posso ser menor que o Sonho,
Nem maior que o Pesadelo!
Não posso ser menor que a Liberdade,
Nem maior que a Prisão!
Não posso ser menor que o Homem,
Nem maior que o Cão!
Não posso ser menor que o Bem.
Nem maior que o Mal!
Não posso ser menor que o Amor,
Nem maior que o Ódio!
Não posso ser menor que a Vida,
Nem maior que a Morte!

TUBLUES, A BANDA

Formada em 1999 em Lorena, SP, no Vale do Paraíba, na intenção de resgatar a essência do Blues e do Rock'n'Roll dos anos 60 e 70 e algo dos anos 80, com influências que vão de Made In Brazil, Casa das Máquinas, Stevie Ray Vaughan, Led Zeppelin, entre outras da época.

: Alexandre Alves, Guitarrista com influências de Ritchie Blackmore, Hendrix e Gary Moore. Estudou no IG&T com Anderson Bersani. Também tocou outros estilos e passou pelas bandas Arkhann e Mordor. Atualmente toca nas bandas Tublues e Medellin.

: James Buris, Baterista de 17 anos, vem sendo uma das revelações dos novos bateristas da região. Influenciado por Randy Castillo e John Bonham. Em 2001 foi o 2º. Colocado no renomado 'Vale Jazz Festival', promovido pelo baterista Cláudio Abreu. Atualmente toca nas bandas Tublues e Medellin.

: Cezar 'Heavy' Bastos: Longa estrada de Rock'n'Roll r viciado em música. Começou a tocar guitarra e pulou para o Baixo e Vocal. Ainda em São Paulo teve várias bandas de Metal, Rock, Blues Etc.. As influências mais marcantes: Jim Morrison, Ian Gillan, Steve Harris, Tommy Shannon, John Paul Jones, Robert Plant, Gene Simmons, Allan Woody entre outros. É fundador da banda.

Contato: César (12) 5552-7017, E-Mail: heavycezar@bol.com.br, Demos: 'Tublues', 2001 e 'O Bicho Vai Pegar', 2003


Site Oficial
http://tublues.i-ltda.net

Luiz Carlos Cichetto
28/11/2003
Registro no E.D.A. da F.B.N. : 513.861 - Livro 974 - Folha 209

(11) 96358-9727

A Barata - O Site-+
Fest'As Baratas
A Barata na Mídia
Barata Cichetto, Quem É?
Depoimentos
Fotos
Poemas Por Título
Por Livro
Por Data
Com Áudio
Musicados
Com Vídeo
Livros Impressos
Artesanato
Camisetas
Convergências
PQP - Puta Que Pariu
Pinturas
Sub-Versões
Videos
Webradio
A Barata Ao Vivo
Biografi'As Baratas
Discoteca d'A Barata
Ensaios Musicais
Coletâneas de Rock
Gatos & Alfaces
Pi Ao Quadrado
Revist'A Barata
Revist'A Barata Digital
Versus
Arca do Barata
Contos d'A Barata
Crônic'As Baratas
Entrevist'As Baratas
Fal'A Barata!
Micrônic'As Baratas
Resenhas de Filmes
Resenhas de Livros
Ataraxia
Crom
Kakerlak Doppelgänger
Madame X
O Anjo Venusanal
Ponto de Fuga
Pornomatopéias
Projeto Sangue de Barata
Psychotic Eyes
Renato Pop
Seren Goch: 2332
Tublues
Vitória
Camisetas
Livros
Pinturas

Todos os textos, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos "Barata" Cichetto e registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Não é permitida a publicação em nenhum meio de comunicação sem a prévia autorização do autor. Bem como o uso das marcas "A Barata" e "Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade".

 On Line:  189