Brasil Papaya - Esperanza
Carro Bomba - Carcaça
Carro Bomba - Nervoso
Carro Bomba - Segundo Atentado
CASCH - High Level Low Profile
Imperial - A Grande Batalha e Seis Anos Queimando na Terra de Ninguém
Kim Kehl & Os Kurandeiros - Mambo Jambo
Kim Kehl & Os Kurandeiros - Kim Kehl & Os Kurandeiros
King Bird - Jaywalker
Lírio de Vidro - Lírio de Vidro
Norba Zamboni - Walking and Sliding
Norman Bates - Norman Bates
Patrulha do Espaço - .ComPacto
Pedra - Pedra
Pedra (3) - Pedra
Seu Zé - Festival do Desconcerto
Spectro - Spectro
Sunflower - A New Beginning...
Sunroad - Arena of Aliens e Flying N´Floating
Tomada - Volts
Uivo Beat - Nas Ruas do Homem Entre Guias de Spleen

+ A Barata Ao Vivo + Biografi'As Baratas + Discoteca d'A Barata + Ensaios Musicais + Coletâneas de Rock +

  Jaywalker

JAYWALKER
King Bird
Barata Cichetto
barata.cichetto@gmail.com
Ano: 2005
Gravadora: Die Hard
Músicos:
João Luiz (Vocal)
Silvio Lopes (Guitarra)
Marcelo Macarrão (Baixo)
Alexandre (Bateria)
Faixas:
1- Down the Crossroads
2 - Underdog
3 - Old Jack
4 - Dont' Be Late
5 - Mother Nature
6 - Physis
7 - Empty House
8 - Burnin' Like The Sun
9 - All Over Again
10- Just A Tale
Síte: http://www.kingbird.com.br/
Contato/Pedidos: kingbird@terra.com.br
Escutar "King Bird" é algo muito estimulante. Procuras som de ótima qualidade, feito por músicos idem? Pois então, queridas crianças, escutem "Jaywalker" do King Bird. Dito isso, é claro que quem não gosta da banda, não precisa nem continuar a ler esta resenha.
Àqueles que não conhecem: João Luiz, o cantor, que também coloca seus magníficos dotes á disposição de bandas como Electric Funeral, Evil Eyes (Dio Cover), Silvio Lopes (Guitarra), Marcelo Macarrão (Baixo), Alexandre Marciano (Bateria), sendo que os dois últimos deixaram a banda logo após o lançamento do disco. Formada em 2002 a tenta resgata com muita competência, mas sem cópia ou clonagem o melhor som dos anos 70. Soando profissional em todos os acordes.

Apresentada a banda, ouçamos o CD: Começa mostrando qual é a desses caras: "Down The Crossroads", é puro Rock And Roll, aquela coisa misto de Grand Funk com Dio... Uma salada saborosa.... Os riffs são fenomenais e a voz "Dionesca" de João fazem com que a gente já levante e saia dançando pela sala, com um bom copo de "Bourbon" descendo pela goela. E dá-lhe Rock, dá-lhe som.. O disco prossegue com a deliciosa "Underdog", que me lembra um pouco Lynyrd Skynyrd destacando a precisão da guitarra de Silvio e a batera de Marciano, que tudo leva a crer assistiu Zinner e Junior da Patrulha tocarem...E por falar nisso, música conta ainda com a participação especial de Marcelo Schevano no Hammond. Apenas achei a música um pouco esticada demais. A terceira faixa já era minha conhecida, da primeira demo da banda: "Old Jack", é uma baladona pesada, digamos assim. Aquela coisa que o UFO e Grand Funk adoram: começar uma música bem lenta, depois soltar os cachorros. Ai a gente sente melhor a noção do canhão poderoso que João tem na garganta. O baixo macarrônico também não deixa por menos e daí é só deixar rolar.

"Don't Be Late" começa com uma "baixaria" danada, com o Sr. Marcelo, mostrando durante toda a música que "cozinha" é com ele mesmo."Mother Nature", uma da melhores músicas do disco tem solos inspirados de Silvio logo na entrada e na seqüência participação de Hélcio Aguirra (Golpe de Estado), uma balada para relaxar o espírito. Physis Song, é um solo de violão, uma instrumental de menos de 40 segundos e parece estar ali só para deixar a gente respirar por esses segundos, pois o que vem na seqüência é algo que nenhum fã de Dio, Rainbow etc., irá deixar de curtir: "Empty House", com um riff pra lá de pesado e uma batera pra Ginger Baker nenhum se queixar. Uma parede sonora, consistente, dura... metálica... "Burning Like The Sun", com a participação de Heros Trench, do Korzus, que co-produziu o CD, tem novamente o Hammond do Schevano, em destaque durante a música toda. Alíás, ótima idéia de colocá-lo fazendo contraponto ao duelo de guitarras. A penúltima faixa desculpa, negada, mas é Grand Funk Railroad puro pra mim... com um detalhe interessante: é como se no lugar de Mark Farner colocassem David Coverdale. Isso é não é uma crítica não e demonstra o quanto à banda gosta da boas bandas. "Just a Tale" fecha com a chamada chave de ouro o disco, rápida, rasteira, roqueira e forte. Bem esta resenha acaba aqui, mas saibam de uma coisa: antes de começar ele rolou muito e irá continuar rolando ainda muito tempo. Voe alto, King Bird!!!!!!!!
Nota: 9,5
Cotação:
Registro no E.D.A. da F.B.N. : 513.861 - Livro 974 - Folha 209

(11) 96358-9727


Camisetas
Livros
Pinturas


A Barata - O Site
A Barata na Mídia
Barata Cichetto, Quem É?
Depoimentos
Fest'As Baratas
Fotos

Por Título
Por Livro
Por Data
Com Áudio
Musicados
Com Vídeo
Livros Impressos

A Barata Ao Vivo
Biografi'As Baratas
Discoteca d'A Barata
Ensaios Musicais
Coletâneas de Rock


Artesanato
Camisetas
Conte Comigo, Conte Pra Mim
Convergências
PQP - Puta Que Pariu
Pinturas
Sub-Versões
Videos
Webradio

Gatos & Alfaces
Pi Ao Quadrado
Revist'A Barata
Revist'A Barata Digital
Versus


Arca do Barata
Contos d'A Barata
Crônic'As Baratas
Entrevist'As Baratas
Fal'A Barata!
Micrônic'As Baratas
Resenhas de Filmes
Resenhas de Livros

Ataraxia
Crom
Kakerlak Doppelgänger
Madame X
O Anjo Venusanal
Ponto de Fuga
Pornomatopéias
Projeto Sangue de Barata
Psychotic Eyes
Renato Pop
Seren Goch: 2332
Tublues
Vitória

Todos os textos, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos "Barata" Cichetto e registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Não é permitida a publicação em nenhum meio de comunicação sem a prévia autorização do autor. Bem como o uso das marcas "A Barata" e "Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade".

 On Line:  163