nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas

Todos os textos, exceto quando indicados, são de autoria de Luiz Carlos "Barata" Cichetto e registrados na Fundação Biblioteca Nacional. Não é permitida a publicação em nenhum meio de comunicação sem a prévia autorização do autor. Bem como o uso das marcas "A Barata" e "Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade".
nike shox hogan scarpe calcio Tiffany christian louboutin Scarpe Adidas superstar Scarpe Reebok Adidas Scarpe nike sb Scarpe nike air force air jordan adidas scarpe Tacchi Scarpe da donna Scarpe Scarpe Adidas adidas Scarpe Scarpe Scarpe hogan oakley nike air presto new balance nike air max adidas Scarpe nike free

  A Grande Batalha e Seis Anos Queimando na Terra de Ninguém

A Grande Batalha e Seis Anos Queimando na Terra de Ninguém
Imperial
..............................................................................................................................................................................
Luiz Carlos "Barata" Cichetto
barata.cichetto@gmail.com
Ano: 1998/2002
Gravadora: Independente
Músicos: "A Grande Batalha "
Dennis Martins - Guitarras
Marcos Polli - Baixo
Fabio Sliachticas - Voz
Daniel Passos - Teclados
"Seis Anos Queimando na Terra de Ninguém"
Dennis Martins - Guitarras
Fabio Kampfer - Voz
Daniel Passos - Baixo
Faixas: "A Grande Batalha"
1 - A Grande Batalha
2 - Depois da Batalha (Instrumental)
"Seis Anos Queimando na Terra de Ninguém"
1 - Além do Horizonte
2 - Pele Sintética
3 - Pequenos Répteis
4 - Eterna
5 - Cores
6 - Automática (Meu Tipo de Fé)
7 - O Povo Pagão
Síte: -
Contato: fkampfer@uol.com.br
Há décadas bato na tecla das letras em bandas de Rock, particularmente brasileiras. Muito falei, muito escrevi sobre o baixo nível delas. Escuto por parte de músicos as explicações mais idiotas e embasadas em aspectos técnicos discutíveis. E assim caminha a mediocridade dentro do Rock Brasileiro. E ninguém entende porque ele não chega a determinadas camadas da população, seja ás mais pobres e iletradas e que têm problemas sociais que o Rock, ao contrário do Rap por exemplo não atingem; seja ás mais cultas e ricas que não vêm no Rock o espelho de suas preocupações e vivências sociais, políticas e filosóficas.

Portanto, quando chega a minhas mãos e principalmente ouvidos um trabalho como esse da banda "Imperial" só tenho que comemorar. Em princípio achei estranho o nome da banda e até brinquei: “É uma homenagem ao Carlos Imperial?” (Produtor e compositor da década de 60 e um dos responsáveis pela introdução do Rock, de fato, no Brasil). Um amigo ganhou há uns dois anos um par de CDs em uma casa que freqüentava, mas como não era o tipo de som que gosta deixou de lado. Há uns dias deu os CDs ao meu filho que me perguntou se eu conhecia a banda. Colocamos as bolachinhas para rodar e tomei até um susto, no bom sentido, com o trabalho.

Certo, no primeiro momento a gente percebe que a galera da banda adora Sisters Of Mercy e procura a mesma sonoridade, a mesma batida e o mesmo caminho. Até no instrumental, incluindo ai a famigerada Bateria Eletrônica que deploro em principio, mas que neste caso não compromete em nada a qualidade do trabalho. É "Gótico" e pronto. Não gosto de rotular estilos, mas às vezes para me fazer entender e ilustrar o que falo sou obrigado a recorrer a eles. Neste caso é necessário. E acho também que o pessoal envolvido nesse "Movimento" produz coisas muito fortes, pois são nítidas as influências poéticas dos chamados “Poetas Malditos” como Byron, Álvares de Azevedo, Poe e outros, além de músicos como Paganini.

A banda "Imperial" aposta nas letras fortes e engajadas filosoficamente falando. "Seis Anos Queimando na Terra de Ninguém", gravado entre 98 e 99, tem 7 músicas e trás: “Além do Horizonte”, “Pele Sintética”, “Pequenos Répteis”, “Eterna, Cores”, “Automática (Meu Tipo de Fé)” e “O Povo Pagão”. Sendo que esta música, não aparece na lista de músicas e tem um trecho da letra que fala: "Fingimos dia e noite / nos fartamos de mentiras / falamos a verdade /fazemos do amor nossa ruina". E em outro: "Mortos nascem aos milhões". A preocupação com as letras fica clara, assim como a proposta da banda, que é usar a música como moldura para a veiculação de idéias e pensamentos nelas contidas. As influências de Sisters Of Mercy não são apenas meras influências, particularmente na terceira faixa: “Pequenos Répteis”. A formação neste disco é Dennis Martins, Guitarras; Fabio Kampfer, Voz e Daniel Passos, Baixo e a produção está acima da média neste tipo de lançamento.

O segundo disco é "A Grande Batalha", uma demo com apenas duas músicas gravado em 2002. “A Grande Batalha” e “Depois da Batalha”, instrumental, que bem poderia ser usada em uma trilha sonora do gênero “O Albergue”. A formação da banda passou por uma mudança e trás Dennis Martins - Guitarras, Marcos Polli – Baixo, Fabio Sliachticas – Voz e Daniel Passos – Teclados. Daniel cedeu o Baixo a Marcos Polli e foi para os teclados e aparentemente o vocalista Fábio mudou de nome e em lugar de “Kampfer” passou a usar “Sliachticas”. Mas a potência das letras continua a mesma: em um trecho de "A Grande Batalha" fala: "Sente-se aqui e ouça a história / do verbo que se fez máquina /da máquina que se fez homem / de um atormentado isolamento / de repulsa / voracidade / a perda da sensibilidade". Fabio Sliachticas, o cantor, usa e abusa de efeitos de estúdio para tornar sua voz algo que dê um tom soturno e gótico a exemplo de seu aparente ídolo Andrew Aldritch e canta os versos como se quisesse atingir a alma e a consciência mais profunda do ouvinte, estejam elas em qualquer lugar entre o Céu e o Inferno.

Em resumo, são dois trabalhos que merecem ser conhecidos e escutados. O problema é que em “Seis Anos...) não existe nenhuma forma de contato com a banda, nem site, em E-Mail ou telefone. Na demo “A Grande Batalha” existe apenas um endereço de E-Mail para o qual mandei uma mensagem e retornou como “Inexistente”. Foi apenas uma falha na impressão das capas ou a banda não quer ser encontrada? Com a palavra o “Imperial”.

A seguir as letras dos dois trabalhos da banda "Imperial":

Além do Horizonte
Uma estranha chuva cai
cinza, seca e corrosiva
e outra contestável verdade sobe
tão brilhante, tão nociva

Ouvi falar de homens
capazes de atravessar o mundo
atrás de uma miragem
ouvi falar de homens que não tombam
enquanto houver sangue
enquanto houver um osso inteiro
no qual possam se apoiar

E homens que entregaram
Suas vidas à Deus
e na fé morreram
esperando a volta da luz do mundo
ouvi falar de homens que trouxeram pedaços do
céu para a terra.

Pele Sintética
O sol rasga o meu rosto
com os dentes da loucura
e eu sinto nossa vida
tão pulsante e quente
quanto pele sintética

Estamos num trem cheio de víboras
vagando à beira do abismo
e seus olhos estreitos brilham
quase tanto quanto seu passado

Assim as montanhas somem
assim nos separamos
e não esconda o rosto
enquanto nossas coisas viram pó

A chuva bate no meu rosto
gelada como o beijo de um lagarto
e eu sinto sua tempestade
e eu sinto sua pele

Nas cidades onde mora a fome
todos gozam a inanição
com os olhos satisfeitos.

Pequenos Répteis
Pequenos répteis e espectros negros
moram comigo rastejam aos meus pés
e eu volto de um tempo que ainda virá
no meio de tanta ilusão
a minha própria voz vai me guiar.

Não dê atenção à tudo o que é bonito
você fica deslumbrado
e então você é engolido

Pequenos répteis e espectros negros
me isolam de toda a estupidez
então mostrarei à vocês
coisas difíceis de aceitar
olhando pela primeira vez

Rebateremos qualquer apelação sufocaremos
qualquer insurreição
pode estar errado mas está feito
eu busco
eu falho
eu não sei nada a meu respeito.

Eterna
Nunca estivemos tão longe
De sua bênção
De seguir os seus passos
Agora o mundo é menor
Mas só será bom
Quando estivermos em seus braços

Onde o calor e o frio
Não tocam nossa alma
Onde o pão não falta
Onde anjos caminhão sobre a água

E toda a solidão que te tortura
é veneno
a fruta podre que você não come
é dignidade
a força dos grandes homens
e todo o momento
que deveria durar para sempre
é a verdade
é a vida que te espera.

Cores
Qual é a cor que eu canto agora
qual é a cor que nos separa
qual é a cor que eu acredito
qual é a cor da indecisão
estampada no próximo desvio
diz criança
qual á cor que agora eu visto

Contra mim já não importa o que fizeram
Já não importa o que foi dito
Estou num trem
Que nunca chegará ao seu destino

Ao seu toque a pele escorre
a preciosa carne
é transformada em carvão
e o que sustentava
agora são ossos jogados pelo chão

E você diz
não venha à mim
se não for pra se entregar
e não se aproxime
se não for pra me adorar
eu imploro acorde
você está entorpecida
e não consegue mais ouvir
o tempo acabou
nossas palavras mortas
já não conseguem mais ferir

Um ideal proscrito
o terror e a propaganda
é essa a cor que agora eu visto.

Automática (O Meu Tipo de Fé)
O coração eletrônico bate
mas o mal faz o sangue correr
o olho elétrico disseca
fotografa você

O corpo mecânico excede
totalmente exaurido
desfeito de tudo o que tinha a perder
disposto a não se entregar
disposto a nunca parar
tudo em nome da fé
ou tudo em nom da obsessão

O Povo Pagão
Fingimos dia e noite
nos fartamos de mentiras
falamos a verdade
fazemos do amor nossa ruína

Atracando nos portos
correndo nas estradas
por quilômetros de trilhos
a era do livre comércio
primeiro espalham a doença
depois vendem o remédio

Está em tudo o que está escrito
em tudo o que se lê
você é lei contra mim
eu sou o mundo contra você

E fingimos dia e noite
nos fartamos de mentiras
e falamos a verdade
fazemos do amor nossa ruína
procuro vida nas ruas
procuro vida nas multidões
mortos comandando empresas
mortos servindo seus patrões
comprando e vendendo
mortos nascem aos milhões

O povo pagão chora
E ninguém vela seu choro
O povo pagão chora
roubaram uma perna
do seu bezerro de ouro

Oh, Jesus
porque demora tanto
só Deus sabe o quanto
este povo sofre
ao ver a madeira apodrecendo
e os pregos enferrujando

É tão profundo
tão fácil de entender
você é o mundo contra mim
eu sou o mundo contra você

É tão profundo
tão fácil de entender
orgias
que estas paredes não podem ver
coisas passadas
que ainda estão pra acontecer.

A Grande Batalha
Sente-se aqui e ouça a história
do verbo que se fez máquina
da máquina que se fez homem
de um atormentado isolamento
de repulsa
voracidade
a perda da sensibilidade

A paixão me movia
eu era invencível
mas a vitória é uma mentira
onde criminosos reis sanguinários dizem:
“Sou Deus!”
e os povos se ajoelham

A paixão ainda me move
e não temo derrota
não precisei morrer
aprendi muito com uma pequena ferida
combato na grande batalha
a busca eterna
a guerra que dura uma vida

Já fui rei
fui deposto e jogado ao povo
mas quem conhece
os caminhos do destino
meu coração tem sede de conquista
fui deposto e jogado ao povo
mas amanhã serei rei de novo

Homens continuam morrendo
a troco de nada
morrendo por causa de bebida
morrendo pela espada

Uma porta se abre e vejo uma serpente
com a cabeça e o coração
semelhantes aos meus
ela me diz uma verdade e uma mentira
me aconselha a oferecer minhas forças
e me lembra que a voz do povo
nunca foi a voz de Deus.

Nota do Editor: Depois de publicada a resenha, Fabio Sliachticas respondeu nosso E-Mail, explicando que a banda não existe mais e que atualmente, além de trabalhar com histórias em quadrinhos, tem o projeto de retomar o projeto da banda, mas sem integrantes fixos.

Nota: 9
Cotação:
Registro no E.D.A. da F.B.N. : 513.861 - Livro 974 - Folha 209
.ComPacto - Patrulha do Espaço
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A Grande Batalha e Seis Anos Queimando na Terra de Ninguém - Imperial
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
A New Beginning... - Sunflower
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Arena of Aliens e Flying N´Floating - Sunroad
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Carcaça - Carro Bomba
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Esperanza - Brasil Papaya
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Festival do Desconcerto - Seu Zé
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Jaywalker - King Bird
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Kim Kehl & Os Kurandeiros - Kim Kehl & Os Kurandeiros
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Lírio de Vidro - Lírio de Vidro
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Mambo Jambo - Kim Kehl & Os Kurandeiros
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nas Ruas do Homem Entre Guias de Spleen - Uivo Beat
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nervoso - Carro Bomba
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Norman Bates - Norman Bates
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Pedra - Pedra (3)
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Pedra - Pedra
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Segundo Atentado - Carro Bomba
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Spectro - Spectro
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Volts - Tomada
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Walking and Sliding - Norba Zamboni
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Arca do Barata
Contos d'A Barata
Crônic'As Baratas
Entrevist'As Baratas
Fal'A Barata!
Resenhas de Filmes
Resenhas de Livros
Micrônic'As Baratas
Camisetas
Livros
Revist'A Barata
Revistas Impressas
Artesanato
O Anjo Venusanal
Ponto de Fuga
Convergências
?/span>pera Rock Vitória
PQP - Puta Que Pariu
Webradio
Sub-Versões
Videos
A Barata Ao Vivo
Biografi'As Baratas
Discoteca d'A Barata
Ensaios Musicais
1a. Coletâne'A Barata
2a. Coletâne'A Barata
Festival Música Independente
A Barata - O Site
Fest'As Baratas
A Barata na Midia
Barata Cichetto, Quem ?
Depoimentos
Amigos & Parceiros
Fotos
Arquíloco (1981)
Sangue de Barata
Impessoal e Transferível
1958
A Verdadeira História da Betty Boop
Emoções Baratas
O Olhar Gótico da Morte Dentro da Cibernética Taverna
O Câncer, O Leão e O Escorpião
O Cu de Vênus
O Êxtase
Poemas Perdidos

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 On Line:  159